domingo, 12 de janeiro de 2014

Arianna Huffington anuncia World Post: Site focado em jornalismo global

Tradução e edição: Leticia Nunes. Informações de Dominic Rushe [“Arianna Huffington announces launch of World Post news website”, The Guardian, 9/1/14] e de Emily Steel [“Huffington Post to launch global digital publication”, Financial Times, 9/1/14]
Do Observatório da Imprensa, por Creative Commons.


A fundadora do Huffington Post, Arianna Huffington, anunciou no dia 8 de janeiro o lançamento de um novo projeto de mídia digital. O site, que se chamará World Post, terá notícias e conteúdo de opinião e, ao que parece, servirá de plataforma de expressão para algumas das pessoas mais poderosas do mundo.


Entre os colaboradores estão o fundador da Microsoft, Bill Gates, o ex-premiê britânico Tony Blair e Eric Schmidt, presidente do conselho do Google. A primeira edição terá uma entrevista com o presidente chinês, Xi Jinping, além de contribuições do Dalai Lama, do Nobel de Literatura turco Orhan Pamuk e do ex-presidente brasileiro Fernando Henrique Cardoso.

O bilionário Nicolas Berggruen, co-fundador do projeto, diz que o World Post – que será lançado no Fórum Econômico Mundial de Davos, este mês – não terá apenas a opinião da elite. “Você tem que começar de algum lugar. Muitas destas pessoas são bem informadas. Por outro lado, você verá muitas vozes desconhecidas, vozes jovens e lugares que não são óbvios”, diz ele, que é dono de 50% do site. Uma curiosidade sobre Berggruen: ele é conhecido como o “bilionário sem-teto”, porque prefere viver em hotéis a ter sua própria casa.

Arianna corrobora o argumento do investidor. “Você pode ter todos esses líderes de Estado e gigantes dos negócios, etc etc, escrevendo ao lado de um desempregado da Espanha, ou de um estudante do Brasil. A essência do HuffPo é a ausência de hierarquia”, ressalta ela.

Entidade internacional

O World Post terá seu próprio espaço, mas também substituirá a seção internacional do Huffington Post. O portal, lançado em 2005 e comprado pela AOL em 2011, será responsável pela publicidade e organizará conferências e seções patrocinadas. Mas não foi revelado qual o valor do investimento no novo projeto. “Nós temos uma oportunidade incrível de usar as cartas que já temos na mesa para falar com nosso público e aumentar esta audiência simplesmente abraçando o fato de que somos uma entidade internacional”, resume Peter Goodman, editor global do HuffPo.

Hoje, além dos EUA, o Huffington Post tem oito versões internacionais: Canadá, Reino Unido, França, Itália, Espanha, Japão, Alemanha e a região do Magreb. Está marcado para este ano o lançamento de um projeto brasileiro em parceria com a Editora Abril, chamado Brasil Post. Jornalistas destes países, junto com três novos correspondentes em Pequim, Beirute e Cairo, produzirão conteúdo noticioso para o World Post. Segundo Arianna, 42% dos 94 milhões de visitantes únicos mensais do HuffPo vêm de fora dos EUA. “Há pouco mais de dois anos, não tínhamos nenhuma edição internacional”, lembra ela.

O World Post ainda deve contratar mais gente, mas Arianna diz que a ideia é que sejam feitas parcerias com organizações locais. “Colaboração é a chave, especialmente nesta economia interligada”, afirma ela. “Se você pode levar ao seu leitor outros bons trabalhos que estão sendo produzidos, você melhora a experiência dele”.

Inicialmente, o conselho editorial – que irá sugerir ideias e colaborações – será formado por membros e ex-membros de companhias de mídia de diferentes países. Além de Arianna e Berggruen, fazem parte do conselho Juan Luis Cebrián, editor fundador do jornal espanhol El País; Dileep Padgaonkar, editor consultor do Times of India; Yoichi Funabashi, ex-editor-chefe do japonês Asahi Shimbun; e Pierre Omidyar, fundador e presidente do eBay. Omidyar é o financiador do projeto de jornalismo investigativo First Look Media, que será tocado pelo jornalista Glenn Greenwald, responsável pela divulgação da maioria dos vazamentos do ex-técnico da NSA Edward Snowden. 

Nenhum comentário:

Posts mais lidos