sábado, 10 de julho de 2010

Flávio Fachel comenta sobre o twitter e a Copa do Mundo

Jornalista gaúcho da TV Globo, Flávio Fachel se destacou fazendo reportagens de ciência e comportamento para o Globo Repórter e em séries especiais, entre 1998 e 2010. Atualmente, é correspondente internacional da mesma emissora, na cidade de Nova York. Com exclusividade, o Bola da Foca entrevistou o profissional sobre sua relação com o twitter e a repercussão da Copa do Mundo na África do Sul na internet.

Bola da Foca:
Você está gostando da sua experiência com o Twitter? Desde de quando você está nessa rede social? Como você a enxerga? Qual é, realmente, o papel do twitter para o jornalismo, tanto o seu quanto o dos demais profissionais?

Flávio Fachel: Estou há um ano. O twitter é um canal onde você pode ter um contato que, antes, se dava em apenas uma via e de forma restrita ao trabalho produzido na TV. Para o jornalismo, o twitter não é nenhuma revolução, como se tenta dizer ou como alguns imaginam. Trata-se de uma ferramenta onde as informações produzidas individualmente circulam na velocidade do boato eletrônico. Isso quer dizer que, em essência, a necessidade da atividade jornalística continua a se fazer presente, tanto no twitter como na mídia tradicional: apurar, selecionar e destacar informações que são importantes para a sociedade. Continua sendo papel do jornalista fazer isso. O twiter ajuda nesse processo como uma espécie de visor da opinião de uma parte da audiência.

BF: As dicas que você fornece sob a tag #telejornalismo estão resultando em feedback positivo? Como as pessoas reagem a um repórter da Rede Globo na internet?

FF: As dicas de telejornalismo têm o objetivo de ser minha colaboração no universo do twitter para a melhoria da qualidade da produção jornalística no Brasil. O retorno é muito bom, com a participação e resposta de estudantes e jornalistas novatos. Antes do advento das mídias sociais, o contato com pessoas de algum destaque era naturalmente difícil. Com a chegada de ferramentas como o twitter, quem deseja abrir as portas para um contato maior com outras pessoas tem essa possibilidade. Estou aproveitando a oportunidade e, até agora, a experiência tem sido positiva.

BF: Como você enxergou a atuação do twitter na Copa do Mundo de 2010? Acha que esse papel deve permanecer nos próximos anos?

FF: Me pareceu uma grande arquibancada virtual. A sensação era a de que estávamos todos em um grande estádio onde podíamos dizer o que estávamos sentindo. Torcida pura, com a vantagem de, de vez em quando, haver a possibilidade de algum contato com os jogadores.

BF: Você acha que a comunidade online fez uma atuação louvável no caso do técnico Dunga e seus comentários mal educados? E no caso da narração de Galvão Bueno? Você acha que existe uma perseguição à Rede Globo na rede?

FF: A rede, a internet, não é uma "instituição". É uma ferramenta universal. Nesse sentido, não há como se determinar que há este ou aquele pensamento dominante circulando entre os servidores do planeta. Não existe apenas uma comunidade on-line. A internet é uma sopa de informações, pensamentos e tendências que devem ser filtradas por cada um de seus usuários da maneira que cada um achar melhor. Desta forma, o que dá pra analisar é essa tendência que você destaca na pergunta. Como resposta, posso dizer: As mídias sociais são como uma imensa praça ao ar livre onde milhares de pessoas falam aos berros. Cabe a cada um dar ouvidos ao que julgar achar melhor. O fracasso do #diasemglobo tem muito a falar sobre essa pergunta. O pedido de desculpas de Dunga na coletiva seguinte também.

BF: Por fim, pergunto se você acredita em uma integração maior entre televisão e internet, sem arriscar todas as fichas no modelo digital. Acha que isso é possível? Se não, por quê?

FF: Acredito que o futuro da TV e do jornal passam pela integração inevitável com a internet por motivos óbvios. Gostaria que esse processo de integração fosse mais rápido, mas os modelos comerciais de sustentação do negócio TV e do negócio internet ainda são muito diferentes. Somente quando essa equação for resolvida, teremos, aí sim, uma TV completamente diferente e muito mais espetacular do que a que existe hoje.

Para conhecer mais sobre Flávio Fachel e sua carreira, acesse o twitter e o wiki.

Um comentário:

Lin Liu disse...

cheap soccer jerseys
bottega veneta handbags
michael kors handbags,michael kors outlet,michael kors outlet online,michael kors,kors outlet,michael kors outlet online sale,michael kors handbags clearance,michael kors purses,michaelkors.com,michael kors bags,michael kors shoes,michaelkors,cheap michael kors 
michael kors factory store,michael kors outlet online sale,michael kors,kors outlet,michael kors outlet,michael kors handbags,michael kors outlet online,michael kors handbags clearance,michael kors purses,michaelkors.com,michael kors bags,michael kors shoes,michaelkors,cheap michael kors
cheap oakley sunglasses
moncler jackets
ravens jerseys
chanel outlet
miami dolphins jerseys
new york jets jerseys
air max 2015
dan marino jersey,louis delmas jersey,brent grimes jersey,cameron wake jersey,mike wallace jersey,dan marino jersey,cameron wake jersey
nfl jerseys wholesale
michael kors bags
michael wilhoite jersey,y.a. tittle 49ers jersey,justin smith jersey,nike 49ers jersey
bottega veneta wallet
hermes belt
lebron james jersey
giants jersey
ugg boots clearance,ugg australia,uggs on sale,ugg slippers,uggs boots,uggs outlet,ugg boots,ugg,uggs
nike soccer shoes
custom mlb jerseys
nike trainers,nike trainers uk,cheap nike trainers,nike shoes uk,cheap nike shoes uk
nike sneakers
ray ban sunglasses outlet,ray ban sunglasses,ray ban,rayban,ray bans,ray ban outlet,ray-ban,raybans,ray ban wayfarer,ray-ban sunglasses,raybans.com,rayban sunglasses,cheap ray ban
gucci outlet
coach outlet canada
coach outlet
longchamp handbags
oakley sunglasses, http://www.oakleysunglasses-outlet.us.com
liu2015828

Posts mais lidos