terça-feira, 30 de agosto de 2011

Retrospectiva: 5 obras primas dos games nessa geração


O tempo passou e esta geração atual de consoles já tem, acredite se quiser, cinco anos. Playstation 3, Wii e Xbox 360 já passam a conviver com as sombras de seus sucessores (no caso do Wii, já devidamente anunciado). Contudo, por mais nostálgicos que gamers sejam, e são bastante, não dá negar a qualidade extraordinária em muitos games apresentados nestes últimos anos.

Como em duas semanas começa oficialmente o semestre para os games, com o lançamento de blockbusters ininterruptamente até o fim do ano – o pontapé inicial vai ser dado pela Square Enix com seu “Deus Ex: Human Revolution” – vai abaixo uma humilde e pequena lista de 5 obras primas produzidas por esta geração*.

Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots

Até esta geração nenhuma obra nos games havia flertado tanto com o cinema como Metal Gear Solid, de Hideo Kojima, ajudando a estabelecer a cultura das cut-scenes, tratando cada batalha ou fase como sequências cinematográficas. Sendo assim, nada mais justo que um final, épico, que remetesse às grandes sagas do cinema. E foi isso a Konami entregou em 2007.

Poucas decisões na história dos games foram tão corajosas quanto a de encerrar de uma vez por todas a saga de Solid Snake. Para MGS4, Kojima envelheceu seu icônico protagonista e amarrou todas as pontas soltas resultantes de mais de 20 anos de histórias complexas e interligadas. MGS 4 foi mais que um game, foi um acontecimento para a indústria, tecnicamente perfeito para a época e livre das preocupações que normalmente acompanham grandes lançamentos, como sequências e vendas.

Kojima e a Konami criaram em Solid Snake uma versão trágica e sem esperança de James Bond, e deram a ele o final digno que o espião dos cinemas nunca teve. Mesmo se todos os outros grandes méritos gráficos não existissem, apenas isso seria o suficiente para fazer de Metal Gear Solid 4 uma obra-prima.

Super Mario Galaxy 2

Super Mario. Pronto. É tudo que um jogo precisa para ser ao menos lembrado em qualquer lista de melhores games do ano. Mas Super Mario Galaxy 2 foi além. Não apenas por ser a primeira sequência direta na série desde os idos do Super Mário Bros. para o Super NES. Nem por ser o game da série mais vendido de todos os tempos. Mas principalmente por pegar o conceito do original, e elevá-lo ao absurdo.

SMG 2 se apropria de tudo que havia no primeiro: puzzles que envolviam elementos clássicos da série misturados com uma física distorcida e uma mescla de momentos plataforma 2D e 3D. A diferença entre eles está apenas na criatividade absurda que o gênio Shigeru Miyamoto, que transforma SMG 2 não apenas no melhor game de plataforma desta geração, mas em um dos melhores da história. Talvez seja um exagero dizer que este é o melhor Super Mario já lançado. Talvez não. Mas que ele está quase lá, isso está.

Uncharted 2

Desde “Indiana Jones e a Última Cruzada” o cinema procura um sucessor para o Prof. Henry Jones Jr. Inúmeros filmes e personagens tentaram capturar o espírito que a série de George Lucas e Steven Spielberg transmitiu, mas ninguém obteve sucesso. E surpreendentemente, o único que realmente teve êxito nesta árdua tarefa, foi um game. Uncharted, lançado em 2007 trazia um versão moderna de Indiana Jones. Nathan Drake, o protagonista, era tão carismático quanto o personagem de Harrison Ford, no entanto tinha um caráter um pouco mais dúbio (em vez de professor, era um caçador de tesouros), um pouco mais violento – mas não muito – e com a fórmula do mentor/parceiro e o interesse romântico.

Uncharted 2 não é apenas melhor, é espetacular. Um dos jogos mais bonitos dessa geração, com cenas espetaculares, a sequencia potencializa toda a referência cinematográfica do primeiro e se torna uma espécie de fusão entre ambas as mídias. Uncharted 2 também é aquilo que Tomb Raider deveria ter sido, com sequencias de puzzles e escaladas espetaculares. Ao mesclar todas as grandes referências de aventura possíveis, seja no cinema ou nos games, a Naughty Dog pode não ter criado nada novo, mas colocou um nome na história do gênero: Uncharted.

Mass Effect 2

Como escrevi em um texto que você pode ler aqui mesmo, Mass Effect traz um universo inteiro criado a partir do zero, com suas próprias raças, planetas, história e tecnologia. Até mesmo seu único elo com o real, o planeta Terra e os humanos, ganharam um papel não tão frequente, deixando de lado a eterna posição de subjulgados ou inferiores.

Mass Effect 2 tem a coragem de se portar como uma história de ligação em um trilogia: sem começo e sem fim. A história do Comandante Shepard (que pode ser homem ou mulher) começou no primeiro game e se encerrará no terceiro, e cabe ao segundo game apenas o desenvolvimento da história. E ele se saiu muito bem.

Expandindo a dinâmica de que todas as escolhas são suas, e não do roteiro do game, Mass Effect 2 não merece classificação menor que obra-prima, levando incontáveis prêmios de Melhor do Ano. Mass Effect 2 não é apenas grandioso ou espetacular. É único nos games. Simples assim.

Red Dead Redemption

Redenção em vermelho sangue. Nada define melhor o que é Red Dead Redemption do que a tradução livre de seu título. Um western como poucos do gênero. Grandes personagens, grandes paisagens, grandes momentos e um grande final. A única diferença que é que Red Dead Redemption é um game. E esta realmente é a única diferença.

Poucas histórias nesta indústria de mais de 20 anos são mais marcantes e, por que não, que a busca de John Marston pela redenção de seus crimes e o reencontro com sua família. Alguém irá dizer que Red Dead é cheio de clichês e não inova em nada, mas o que seriam dos westerns sem seus paradigmas?

De John Ford a Sergio Leone, de John Wayne a Clint Eastwood, todos os grandes do western são homenageados pela obra-prima da Rockstar Games, e encontram em John Marston não apenas uma reprodução pálida de seus grandes momentos, mas um exemplar e um personagem digno de ser lembrado como uma das faces do velho-oeste. Red Dead Redemption não é o melhor game desta geração graças aos seus feitos técnicos, mas por se tornar o que poucos conseguem: um clássico multimídia do gênero.

Menção honrosa

Heavy Rain: a coragem de fazer algo completamente diferente, adulto e ao mesmo tempo, que ainda seja um grande jogo.

Um comentário:

Lin Liu disse...

cheap soccer jerseys
bottega veneta handbags
michael kors handbags,michael kors outlet,michael kors outlet online,michael kors,kors outlet,michael kors outlet online sale,michael kors handbags clearance,michael kors purses,michaelkors.com,michael kors bags,michael kors shoes,michaelkors,cheap michael kors 
michael kors factory store,michael kors outlet online sale,michael kors,kors outlet,michael kors outlet,michael kors handbags,michael kors outlet online,michael kors handbags clearance,michael kors purses,michaelkors.com,michael kors bags,michael kors shoes,michaelkors,cheap michael kors
cheap oakley sunglasses
moncler jackets
ravens jerseys
chanel outlet
miami dolphins jerseys
new york jets jerseys
air max 2015
dan marino jersey,louis delmas jersey,brent grimes jersey,cameron wake jersey,mike wallace jersey,dan marino jersey,cameron wake jersey
nfl jerseys wholesale
michael kors bags
michael wilhoite jersey,y.a. tittle 49ers jersey,justin smith jersey,nike 49ers jersey
bottega veneta wallet
hermes belt
lebron james jersey
giants jersey
ugg boots clearance,ugg australia,uggs on sale,ugg slippers,uggs boots,uggs outlet,ugg boots,ugg,uggs
nike soccer shoes
custom mlb jerseys
nike trainers,nike trainers uk,cheap nike trainers,nike shoes uk,cheap nike shoes uk
nike sneakers
ray ban sunglasses outlet,ray ban sunglasses,ray ban,rayban,ray bans,ray ban outlet,ray-ban,raybans,ray ban wayfarer,ray-ban sunglasses,raybans.com,rayban sunglasses,cheap ray ban
gucci outlet
coach outlet canada
coach outlet
longchamp handbags
oakley sunglasses, http://www.oakleysunglasses-outlet.us.com
liu2015828

Posts mais lidos