sexta-feira, 27 de setembro de 2013

O problema do plágio, em dois atos

Plágio normalmente é definido como a apropriação indevida de obras de outras pessoas. Como se trata de um ato que contraria a moral e a ética da criação de conteúdos artísticos, informativos e inventivos, não se trata de uma infração clara para todas as pessoas. Ele se encaixa como infração de direitos autorais (Copyright) se a obra da pessoa estabelece que ela não pode ser reproduzida sem autorização.

Os tempos atuais, no entanto, são da internet. Compartilhamos conteúdo e a informação normalmente foge da fonte original para terceiros. No entanto, criadores de conteúdos com ética devem saber que, mesmo se apropriando de conteúdo alheio, você deve citar a fonte.

Isto está claro na nova licença de direitos autorais chamada Creative Commons (Copyleft), adotada inclusive neste Bola da Foca. Nela, fica estabelecida a livre reprodução de obras, desde que a fonte seja devidamente citada e credenciada.

Sabendo disso, vê qual é o problema das duas imagens abaixo?



Sim, amigos, tanto Leandro Stenland (Blah Cultural) quanto Carla Tambellini (Portal Networking) fizeram um "trabalho" de plágio puro com meus textos, apenas alterando seus títulos (os originais eram "Iron Maiden: polêmica no RIR ao fazer propaganda de cerveja" e "A diferença entre publisher e criador de conteúdo"). Copiaram seus conteúdos. Leandro o fez alterando radicalmente o título utilizado na nota redigida no site Whiplash.net. No texto, eu apenas levantava questões sobre a propaganda que o cantor Bruce Dickinson (Iron Maiden) fez da cerveja de sua banda em um evento patrocinado pela Heineken (Rock in Rio). Em momento nenhum do texto eu disse que sua banda estaria banida do festival, mas questionei o clima entre o evento e o grupo musical após o show. Nem tenho informações para fazer tal afirmação.

O caso de Carla foi ainda mais grave. Ela é diretora-executiva do portal onde postou meu texto do Bola da Foca, redigiu seu currículo acima da cópia e reproduziu o texto (original de fevereiro/2013 no mês de julho/2013, chequem no Google), alterando apenas um acréscimo no final. Se não mexeu em meu texto, por que não citou o autor original ou o veículo?

A Whiplash.net é um site de grande tráfego. Portanto, casos de plágio são mais comuns na internet com os textos de lá, ainda mais os que dão audiência. No entanto, o caso do Portal Networking foi puro aproveitamento do conteúdo de um blog que é, modestamente, pequeno.

O grande problema de cópias sem autorização da internet não é simplesmente o aproveitamento do conteúdo, mas a falta de conduta do autor uma vez que é constatado o plágio. Ao descobrirem o problema no texto do Leandro, a equipe de seu site tratou de pedir desculpas e fazer a correção. O Portal Networking foi informado às 12h de ontem e não tomou nenhuma providência até o momento.

Falta de ética no jornalismo e na criação de conteúdos: Até quando? Plágio e infração de direitos autorais geram processos, vocês sabiam?

Em tempo: Sei que o plágio "pode ser uma forma de elogio", mas custa citar a origem em um texto?

Nenhum comentário:

Posts mais lidos