quinta-feira, 21 de abril de 2011

A trajetória nerd e célebre de Steve Wozniak


Stephen Gary “Woz” Wozniak é um homem de 60 anos que aprendeu a programar e construir equipamentos com revistas de eletrônica, ajudou a criar a Apple e é popular por ser dançarino em um programa de celebridades na TV norte-americana.

Sua palestra foi mais freqüentada da quarta edição da Campus Party deste ano, no dia 21 de janeiro, às 19h30. Ele não falou apenas da empresa que criou o computador Macintosh, mas também sobre o que impulsionou sua curiosidade por engenharia e design de computadores. Hoje, Woz é uma celebridade conhecida por ter participado em seriados e reality shows fora do mundo da tecnologia, além de fazer parte da empresa de servidores Fusion-io desde 2009.

Recebido com aplausos, ele começou a palestra falando de como o evento de tecnologia é similar aos clubes de eletrônica que ele frequentava antes de sua carreira empreendedora com Steve Jobs. E ele disse que esse espírito criativo dos desenvolvedores fez parte de todas as suas profissões. “A calculadora científica da Hewlett-Packard era o iPhone da minha época, uma sensação” afirmou, ao falar do período em que se interessou em transformar seu hobby de desmontar e construir aparelhos eletrônicos em um trabalho, que rendeu um emprego na HP ainda na década de 1970.

Woz falou para todos os presentes na Campus Party com um entusiasmo não apenas sobre os equipamentos e os sistemas que programou. A palestra era para promover seu livro autobiográfico, chamado iWoz, que foi traduzido neste ano para o mercado editorial do Brasil. Por isso, ele relembrou diferentes fases de sua carreira.

A formação de Steve Wozniak

“Educação é a base, mas não só a educação das escolas. Pode ser apenas de um amigo, mas é necessário pensar fora da caixa”, afirmou Woz, dizendo também que seu pai foi um dos responsáveis por ele seguir na área de engenharia da computação. Wozniak também pensava muito sobre as tecnologias que estavam em voga quando começou a trabalhar para pagar seus estudos na Universidade de Califórnia, em Berkeley.

“Quando eu vi Pong pela primeira vez, eu sabia que queria fazer aquilo com a televisão que tinha em casa. Steve Jobs veio até mim dizer que estava trabalhando ali ao lado, na Atari, com Nolan Bushnell. Resolvemos fazer videogames”, disse Woz, sobre os serviços esporádicos que ele fez com seu parceiro, imitando o que fazia sucesso no momento. Wozniak também relembrou quando viu Bill Gates alcançar o sucesso programando na linguagem BASIC, que ele copiou depois, código por código. A carreira de Woz essencialmente foi prever e aproveitar as grandes renovações ao seu redor para criar tecnologia.

O videogame Pong, da Atari, foi uma de suas inspirações para criar o Apple II, que possuía uma grande biblioteca de jogos para um dos primeiros microcomputadores. No entanto, um acidente de avião na Califórnia quase arruinou sua carreira em 1981. Graças aos mesmos jogos eletrônicos, ele fez exercícios ainda no hospital para recuperar sua memória, que sofria com constantes amnésias.

Sobre sua saída da Apple, em 1987, Woz respondeu a uma das espectadoras da Campus Party que ocorreu porque ele queria voltar a estudar engenharia da computação em Berkeley e obter seu diploma, ao contrário de Steve Jobs. Ele descreveu Jobs como alguém com um senso incomum para vender tecnologia, ao contrário de sua carreira, que sempre envolveu programação e construção de equipamentos. “Até hoje somos amigos e eu costumo ligar para ele, às vezes”.

A visão de negócios de Wozniak

Woz criou a CL 9 em 1985, no mesmo ano em que Steve Jobs foi demitido da Apple. Nessa empresa, ele criou o primeiro controle remoto universal para televisões, que funcionava em qualquer aparelho e permanece no mercado até hoje. “Eu sou a favor do open souce” disse ele aos presentes na Campus Party. Seu empreendimento com TV não nega que ele queria equipamentos que funcionassem em qualquer situação. Mesmo visionário, o negócio foi encerrado em 1988.

Mesmo com essa nova companhia, Wozniak continuou trabalhando como empregado para a Apple, mas sem um vínculo integral. Ele admira os produtos de Steve Jobs hoje, mas argumenta que o sistema operacional Android, que possui código aberto, está chegando aos usuários por conta do controle que a concorrência exerce em seus programas. “Mesmo assim, o iPhone ainda é o celular com os melhores aplicativos”.

Ele também foi criador de uma empresa chamada Wheels of Zeus, que tentou se lançar no mercado de GPS em 2001. A companhia fechou as portas cinco anos depois. Mesmo assim, Woz afirmou na Campus Party que a tecnologia e o mundo é para os hackers, os interessados em criar, sejam eles com empreendimentos grandes ou pequenos.

Quebrando preconceitos

Ao longo de sua palestra para os brasileiros, Woz afirmou várias vezes que sua vida, seus estudos e seu trabalho sempre foram regados com humor e piadas. Essa felicidade certamente não seria possível sem seu talento com eletrônica ou sua experiência com trabalhos fora do usual em sua carreira.

Desde sua saída da Apple, ele empreende projetos filantrópicos educacionais com escolas na Califórnia. Em 2008, ele tomou a decisão de participar do reality show da emissora ABC Dancing with the Stars, com a dançarina Karina Smirnoff. Mesmo com o preconceito do público com seu quadro físico de obesidade, Wozniak conseguiu chegar na quarta posição da competição e se tornou conhecido fora do mundo da tecnologia. Em muitas entrevistas, ele afirma que há americanos que o conhecem apenas por sua participação na TV.

No dia 30 de setembro de 2010, Woz participou de um episódio da série The Big Bang Theory. Em sua aparição, o personagem Leonard tenta explicar para a vizinha Penny quem é Steve Wozniak, contando sobre sua história com a Apple. Mas ela insiste que ele é apenas o dançarino gordinho do programa Dancing with the Stars.

Nenhum comentário:

Posts mais lidos