domingo, 18 de janeiro de 2009

Sobre as operações em Gaza

Ocorridos desde 27 de dezembro de 2008, pouco depois do Natal, bombardeios e ataques (para ocupação territorial) promovidos por militares israelenses em represália ao grupo terrorista Hamas, na Faixa de Gaza - área entre o Egito, Israel e Cisjordânia, no Oriente Médio - geraram feridos entre palestinos, com estimativas além de 3.000 pessoas.

O Bola da Foca não se pronunciou antes, sobre tais conflitos, para não assumir posições precipitadas. No entanto, agora é preciso expor, pelo menos, uma opinião: como a imprensa brasileira (e ocidental como um todo) ousa defender os israelenses em investidas que atentaram a vida de inocentes?

Sim, o Hamas não negocia. Sim, o Hamas certamente é radical e anti-governamental, indo contra tudo o que os judeus conquistaram territorialmente no Oriente Médio, atentando inclusive contra a ONU e suas leis internacionais. Mas não se responde na mesma moeda em pleno início de 2009. Aliás, largando a hipocrisia das datas comemorativas, não se defende um genocídio ou um bombardeio por conta de ações de militantes radicais isoladas, que não respondem pelo restante da população.

Isso é tarefa da espionagem, até da diplomacia, e de forças muito além de aviões e bombas. No entanto, creio que os conflitos religiosos e políticos ali são tão enraizados que, talvez, seja necessário um golpe contra ambos os lados. E, convenhamos: se a ONU e os Estados Unidos não tivessem praticamente forçado a entrada judaica no Oriente Médio, se tivessem realmente feito valer sua "democracia mundial", jamais teríamos um xenofobismo secular bem peculiar como o que existe entre judeus e palestinos. É uma relíquia (ou, melhor, maldição) do século XX.

Nicholas Sarkozy esteve em reunião com chefes de Estado europeus e árabes hoje, em Sharm el-Sheik, no Egito, e fez um apelo a Israel. Hamas declarou cessar-fogo e exigiu a retirada das tropas israelenses de Gaza. Os invasores, de fato, parecem estar retirando suas tropas.

É importante lembrar que, para informações mais detalhadas, a rede Al Jazeera possui um twitter com informações atualizadas constantemente sobre a violência em Gaza. Algumas poucas revistas nacionais, como a Istoé, defenderam que, de fato, isralenses também estão sendo incoerentes em seus ataques (ver capa "O terrorismo de Israel").

28 comentários:

Fernando Gonzalez disse...

É complicado pensar na preocupação com a população quando o Hamas lança um ataque depois de decretada a trégua.
Infelizmente o mundo real não funciona assim.

Pedro Zambarda disse...

É complicado pensar na preocupação com a população quando o Israel lança um ataque aéreo no Natal.
Infelizmente o mundo real não funciona assim.

Thiago Dias disse...

Seguinte..o Hamas naum eh uma forca isolada. Eles SÃO um partido politico, um governo, e isso eh um problema. A coisa naum eh tao facil assim de se resolver, apontando monstros de forma tão rápida.
Em Gaza, de santo só as criancas

Fernando Gonzalez disse...

Ué, Pedro, entre o meu ou o seu, qual você vai salvar?
E grande coisa lançar um ataque no Natal. Duvido que no Natal os foguetes do Hamas não estivessem armadinhos e apontados para Jerusalém, como sempre estiveram. Em guerras não existem feriados.

Nadiesda Dimambro disse...

FOGUETES DO HAMAS? Me poupe! O que o hamas tem são arminhas de fundo de quintal perto do poderio militar israelense!
Também puderam, tanto patrocínio americano só podia gerar isso, um estoque de mais de 200 bombas atômicas hebraicas, haha! Israel devia se envergonhar de ser uma peça estratégica do imperialismo norte americano!
Gostei do artigo, mas eu mudaria a parte "terroristas do Hamas" para "militantes do Hamas". O terrorismo nesse caso é MUITO relativo.

Thiago Dias disse...

Militantes Nadiesda??? O Hamas mata inocentes israelenses todo santo mes com ataques em Tel-Aviv. Eh um absurdo uma pessoa que faz um curso de humanas usar termos como esses. Me desculpe a grosseria, mas é impossivel tolerar que uma pessoa chame um grupo que mata inocentes de militantes. Um absurdo

Fernando Gonzalez disse...

FOGUETES DO HAMAS vem de todos os veículos internacionais. O método da comparação não funciona para tratar arsenal militar. Uma vez que os FOGUETES DO HAMAS matam dezenas, centenas de pessoas (israelenses ou não), eles não se transformam em "arminhas de fundo de quintal" só porque Israel tem ogivas nucleares (que, aliás, nunca usou).
E a questão aqui é mesmo o conflito Israel X Hamas ou o conflito Aliado dos EUA X Inimigo dos EUA? Política Internacional é algo muito complicado para ser reduzido a "diga-me com quem andas que te direi quem és". O que parece é que, ultimamente, virou modinha ser contra os EUA por causa da gestão G.W. Bush, e isso está afetando toda essa questão do Oriente Médio.

Pedro Zambarda disse...

Pra mim, matem a ONU, a grande culpada!

Pedro Zambarda disse...

Não é modinha, eu sou contra qualquer ação que os estadunidenses tomaram depois depois das bombas atômicas.

Não se justificam. Ponto.

Fernando Gonzalez disse...

Se é pra ser contra ações unilaterias injustificadas, seja contra todas. O princípio é o mesmo.

Pedro Zambarda disse...

E militantes do Hamas nada. São terroristas.

Tão terroristas quanto as Nações Unidas.

Pedro Zambarda disse...

É justamente o que eu sou contra, Gonzalez.

A única coisa é que, de fato, foi horripilante o que fizeram no Natal. Guerra não tira férias? Nunca tira. Mas por quantos milhares de anos vai continuar essa rotina?

Existem violências inerentes ao que possamos fazer. O que acontece em Gaza e em Israel é um fardo nas costas da ONU, um fardo que ela deveria, de fato, resolver.

Não tem quem se salve.

Nadiesda Dimambro disse...

Modinha? Definitivamente não se trata de modinha!
Vamos a uma analogia simples, vejam se acompanham meu raciocínio: quando os nazistas cercavam os judeus em guetos, qualquer ação que eles fizessem para se defender o governo alemão os intitulava de que? Terroristas. Os palestinos se revoltam contra o cerco e as humilhações diárias que sofrem em seu próprio território usurpado (e não se trata apenas desses 27 dias não, quando eu digo humilhação diária me refiro, inclusive, a quando a mídia não dá o devido destaque para o que acontece na região) e são chamados de que? Terroristas. Eles têm que ficar inertes? A "ordem" vigente chama do que quiser.
Que política internacional é algo muito complicado eu concordo plenamente, mas veja só que coisa curiosa, vc pede para eu não reverter a coisa toda em EUA X Inimigo dos EUA, como se o governo estadunidense estivesse fora das decisões entre Palestinos e Israelenses! Está tão presente que Israel recuou para a posse do Obama! Pq ele simpatiza com o novo presidente? Muito pelo contrário! Porque Israel não sabe como ficará esse apoio aparentemente indefinido que sempre recebeu dos EUA, e teme a moderação de Obama, tão discrepante do cartão verde para qualquer barbaridade dado pelo Bush filho.
Eu, particularmente, acho que nada justifica uma guerra. Contudo, exatamente por fazer um curso de humanas, o qual inclusive me faz refletir tanto sobre o passado, abomino erros repetidos/recorrentes.
O atual Estado de Israel é racista, e nunca fez nada para pacificar sua presença na região, ao longo desses 60 anos!
É impossível apagar as tragédias vividas pelos judeus, desde a perseguição pela Inquisição, tão acentuada na península ibérica da época moderna, ao holocausto. Mas isso os dá o direito de massacrar?
O sionismo cresceu no pós segunda guerra de forma deveras rápida e contagiante, vocês deviam refletir sobre isso!
Outra coisa que deve ser muito dicutida é o termo que devemos empregar a toda essa "ação" israelense; Para mim, atacar escolas, mulheres, crianças e reservas de alimentos, além de manter o cerco nas fronteiras, é genocídio! Nesses bombardeios há a clara intenção de exterminar uma raça; vcs acham que eles nao tem mapas perfeitos da faixa de Gaza? Atitaram em escolas sem querer? Em mesquitas por engano?
Por isso que eu digo MILITANTES do Hamas, e acho que se olharem por uma outra vertente, verão o quão corajosa é a sua resistência.
Não se trata de repúdio aos judeus, anti-semitismo ou coisa parecida. Até mesmo pq muitos deles tem se rebelado contra a barbárie praticada por seu próprio governo, e tem se auto-exilado.
E a minha opinião sobre a ONU é bem objetiva, não acredito que um organismo criado pelos Aliados vá ser decisivo nessa questão; por mais que tenha o dever de manter/pregar a paz entre as nações e blá blá. Desde 1948 nada de impacto, que visasse realmente a paz, foi feito pela ONU.
Estudar História não é julgar, não é apontar vilões e mocinhos, mas confesso que estou longe de ter a dita "imparcialidade", quase fria, de vocês jornalistas. Eu apuro e enxergo determinadas coisas de forma diferente, sem partir para a simplicidade de rotular os dois lados de qualquer coisa semelhante.
Espero ter sido clara.

Pedro Zambarda disse...

Sionismo nunca existiu, Nadiesda. Pra mim isso é uma discussão deveras sem fundamento. O Holocausto existiu e não há como contestar.

Não só aos judeus, o que é mais certo, mas existiu.

Agora, responder na mesma moeda não torna os islâmicos "militantes" e nem os judeus "certos". Tá todo mundo errado nessa palhaçada.

Se forem fazer uma ação militar, comecem matando os líderes dessas porras. Se for responder com terrorismo, eu prefiro que seja desse modo.

Do caso contrário, estou sempre do lado das vítimas. Se for pra assumir o fardo dos cadáveres, eu assumo. O problema é que ninguém toma partido disso.

E as pilhas aumentam.

Obama está quieto demais pro meu gosto e ele afirmou que invadiria o Afeganistão. Será que VOCÊ não vê isso?

Pedro Zambarda disse...

Não dá pra comparar resistência francesa ou judaica com homens bomba. Do mesmo jeito que não dá pra comparar governo Chávez com governos islâmicos, como muitos estadunidenses costumam fazer.

Não dá pra falar de tolerância israelense quando a pauta é terrorismo. Se você está chamando alguém de terrorista, há maiores chances do terrorista ser você.

Nadiesda Dimambro disse...

Não tive a intenção de negar o holocausto em momento algum! Ao contrário de vc que está negando o sionismo! Isso me assusta o.o'
Você nega o evidente!
Perante declarações da ONU de que Israel está cometendo um "crime contra a humanidade" vc espera que o Obama faça o que? O mesmo que o Bush?
"Se você está chamando alguém de terrorista, há maiores chances do terrorista ser você." Ah! com isso eu concordo!
Esse argumento de "não dá pra comparar isso com aquilo" não funciona sempre! A história, por mais irônica que seja as vezes, é passível de analogias, ainda mais quando temos um Estado nos velhos e conhecidos moldes nazistas que cinhecemos, infelizmente, tão bem.
Repito que não sou a favor de guerras, radicalismos, fanatismos e similaridades, apenas olho para a situação através de lógicas diferentes.

Fernando Gonzalez disse...

"Tá todo mundo errado nessa palhaçada."

Essa é a frase mais sensata nessa página.
Mas rotular "vítimas" e "vilões" é muito complicado. O que determina as vítimas? Um arsenal bélico menos elaborado?
O grupo de Fidel usou táticas de guerrilha e um grupo de menos de cem homens, e mesmo assim, olha ai o resultado da Revolução Cubana.
Às vezes, menos pode ser mais.

Thiago Dias disse...

Isso ai gente. Palmas pra todo aqui. Palmas pra vc Pedro, que considera TUDO que os EUA fazem errado, por causa da bomba atomica. Afinal, o nosso Brasil tambem naum cometeu um genocidio no Paraguai neh. Erros antepassados devem ser levados em conta pra se julgar atitudes atuais.
Palmas pra vc Nadiesda, que considera heroico matar inocentes.

Na boa, são 1000 anos de ódio pra nós , estudantezinhos de faculdade podermos julgar e destilar mais ódio, além de analisar algum imparcialmente, como deve ser feito. O unico que vi ate agora ser sensato aqui foi Fernando. Politica internacional eh algo razoavelmente complexo, ainda mais esse topico,para simplesmente apontarmos acertos e erros assim. Naum existe maniqueismo nisso, naum existe ngm 100% certo ou errado. Naum existe governo totalmente heróico ou vilão. O que eu sei é: quem MATA inocentes naum eh militante coisa nenhuma, e matar inocentes também eh crime de guerra. E que também sei eh que se o mundo nos ensinou algo, eh qeu julgar um povo pelos seus erros do passado so vai trazer mais ódio e mais guerra.

E finalizando. Como vc viu Pedro, mtos colaboradores discordam de sua opiniao. Assim sendo, da proxima vez naum se manifeste como a voz do Bola, e sim como algo pessoal.

Thiago Dias disse...

Um último comentário. Aonde que o Obama afirmou que iria invadir novamente o Afeganistão?? Pq sério, acompanhei cada palavra desse cara desde Outubro e nunca vi isso. O que eu ouvi no discurso de possa foi Obama afirmando que o trabalho no Afeganistão precisaria ser terminado, já que os EUA ainda mantém tropas lá, sem qqr plano sobre o que fazer com elas ou como sair de lá.

Pedro Zambarda disse...

eu disse que era uma opinião só Thiago.

Você interpretou que eu falei pelo Bola. Eu disse simplesmente que o Bola não se manifestou antes pela questão ser complexa.


Agora, se você não tá afim de aceitar que os EUA só fizeram burradas depois da Bomba Atômica, veja o Vietnã, os excelentes governos Bush e, SIM, eu dúvido de Barack Obama.

Ele declarou que invadiria o Afeganistão quando saísse do Iraque. E os americanos, obviamente, aplaudiram.

O alvo é Bin Laden. O preço? Vocês sabem.

E é, discordem mesmo. Eu sei rebater. Eu TÔ AFIM DE REBATER. É assim que funciona o bom diálogo, Thiago. Sinto muito, eu adoro ser agressivo.

Pedro Zambarda disse...

Ele afirmou que invadiria o Afeganistão em Agosto. Você tá ouvindo ele desde Outubro, não é? Presta mais atenção.

Pedro Zambarda disse...

Só pra reforçar meus argumentos:

Sobre o Afeganistão:

http://www.revan.com.br/obama.htm
http://www.voanews.com/portuguese/archive/2008-07/2008-07-21-voa3.cfm
http://www.estadao.com.br/internacional/not_int208623,0.htm

Sobre o PAQUISTÃO:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u316823.shtml

Pensem bem antes de chamá-lo de "Esperança". Ele é muito mais centrado que Bush, certamente, mas não sei se é solução.

Thiago Dias disse...

Pedro, acorda sobre isso cara! Naum tem como invadi um país que já está invadido!!! Vai invadi ao quadrado então??
Acontece que de fato o que foi feito no Afeganistão precisa ser terminado. Isso é um fato. Foram lá e fizeram a bagunca,agora precisa arrumar ela, e naum eh simplesmente sair do lugar, mas acabar com remanescentes do Talibã também. Ou será que eles também são militantes?

Thiago Dias disse...

Naum sou a favor de Imperialismo ou nada do tpo, mas acontece que o Talibã massacrava a minoria étnica do lugar. Obvio que os EUA não são heróis nem nada do tpo, mas já que estão lá, que ao menos terminem o trabalho. E outra, naum sei quanto a vc, mas considero fundamental a captura de Osama Bin Laden. Pq naum importa que sejam israelenses, americanos,libaneses ou palestinos. Suas vitimas sao sempre inocentes.

Nadiesda Dimambro disse...

"Sionismo nunca existiu, Nadiesda."
"Tá todo mundo errado nessa palhaçada."
O que é isso? Uma coleção de frases insensatas!
Eu não nego aquilo que está mais que provado que existe, que é evidente! E muito menos trato com displicência coisas sérias.
Pergunte para uma família desmantelada e sem comida/água, que resiste em prol de seu território indevidamente ocupado se eles acham td uma "palhaçada"! Ou mesmo pros judeus, pergunte se eles acham o poder de união, resistência e ação do Hamas uma "palhaçada"!
Se vocês querem fingir que não entendem o que eu digo e me taxar de "aquela que aplaude a morte de inocentes", o que posso fazer? escrever outro comentário imenso em vão?
E olha, eu acredito em tentativas de imparcialidade, mas a imparcialidade pura na prática, não existe!

Pedro Zambarda disse...

Eu tomei partido, se é que deu pra perceber.

O Gonzalez já notou.

Thiago, ok, errei sobre o Afeganistão. Mas enviar mais tropas significa mais conflito.

Como falei. Se o serviço secreto agisse, Bin Laden já estaria morto, na mão dos americanos ou de outros.

Não parece ser esse o interesse da vez.

Pedro Zambarda disse...

Ei, ganha um doce quem apontar isso: onde eu falei que defendo os palestinos?

Pergunta valendo um doce [/silviosantosmode]

Thiago Dias disse...

Ta, vamos acalmar as coisas aqui que todo mundo fico estressado.
Acredito piamente que o Servico Secreto ja tenha sido usado Pedro, e sem resultados. Naum foram as criticas da imprensa americana nos ultimos anos em relacao à ineficiencia do orgão.
E na minha opiniao, e isso eh motivo pra outraaa diferente historia e provavelmente algum post, a guerra do Afeganistão necessaria..mal feita e mal planejada, porem necessaria. Já a do Iraque foi o absurdo que temos aí.

Posts mais lidos