sábado, 4 de junho de 2011

Um filme de X-Men sobre a história de Magneto


Filmes de super-heróis de quadrinhos resultam em boas adaptações e em desastres cinematográficos. Para o alívio dos fãs, X-Men First Class é um excelente filme. Ao contrário de Wolverine: Origins, as mudanças criadas pelo diretor Matthew Vaughn alteram a história dos gibis e agradam de forma autêntica, ao mesmo tempo. O foco do longa é uma versão das origens do professor Charles Xavier e de Erik Magnus, o Magneto.

O enredo se passa na Crise dos Mísseis entre a URSS e os Estados Unidos na Guerra Fria, em 1962. Bombas estão montadas na Turquia, ameaçando a União Soviética. Por isso, os russos estão direcionando mísseis de Cuba contra os americanos, criando um temor de guerra internacional e nuclear.

Nesse contexto, entra a história de Magneto - um fugitivo judeu polonês, da Segunda Guerra, que foi criado com desejo de vingança após o Holocausto. De outro lado, Charles Xavier é mostrado como um milionário americano que se dedica à carreira acadêmica e aos estudos científicos sobre mutantes. O vilão Sebastian Shaw, interpretado pelo conhecido Kevin Bacon, entra no enredo totalmente diferente dos quadrinhos, como um oficial nazista que matou a mãe de Erik Magneto. A princípio, a história soa forçada, mas você passa a aceitar Shaw como um personagem que constitui a personalidade de Erik, o filme flui bem.

Xavier convive com Raven, uma mutante que foi parar em sua casa e que transforma sua aparência na de outras pessoas. Essa personagem pequena azul torna-se a Mística. Charles Xavier também conhece Dr. Henry "Hank" McCoy, que se torna a aberração conhecida como Fera. O professor X também recruta outros mutantes novatos, que ganham um papel secundário no filme, atraindo atenção principalmente nas cenas de combate.

Mas a história ganha vigor com a vingança de Magneto contra Shaw. O vilão é protegido por Emma Frost, uma mutante com poderes similares ao professor Xavier. Quando Sebastian Shaw fica desprotegido, Magneto duela contra a habilidade de absorver energia do adversário. A luta será pelo capacete de metal que protegerá Erik Magnus dos poderes telepáticos de outros mutantes.


O filme mostra uma origem mais complexa do professor Xavier, lutando ao lado de mutantes, ao contrário dos quadrinhos, que mostram ele apenas como um telepata pesquisador. Magneto representa a opinião mais radical entre os mutantes, reunindo aliados entre os parceiros do professor X para formar seu próprio grupo contra os seres humanos. Enquanto essas crises acontecem entre os X-Men, eles tentam impedir que ocorra a Crise dos Mísseis, que poderá destruir a União Soviética e os Estados Unidos.

Esse longa-metragem estreou ontem. Se você puder ver nesta semana - e for admirador de quadrinhos -, vale muito a pena. Mesmo com as diferenças do filme em relação aos gibis.

Posts mais lidos