quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

I wanna do bad things with you


True Blood, a nova série da HBO baseada nos livros de Charlaine Harris, entrou na nova mania mundial vampiresca - mas com uma abordagem mais adulta.

Uma comparação pobre e simples pode ser feita: é o Twilight dos crescidinhos, a parte picante da história dos vampiros que todos querem saber, mas tem medo de assumir. As propagandas e a abertura já dão uma idéia do que se pode encontrar em TB: sexo selvagem, sensualidade e muito sangue, tudo isso regado a rock'n roll. Aliás, o nome da música da abertura é I wanna do bad things with you (Eu quero fazer coisas ruins/proibidas com você), de Jace Everett. Precisa dizer mais alguma coisa?

O mundo está passando por uma revolução: cientistas japoneses inventaram um sangue sintético, o Tru Blood, que trouxe os vampiros de volta para a sociedade. Claro que nem todos concordam com isso, ou aceitam. Não é o caso de Sookie Stackhouse (Anna Paquin, de X-Men), uma garçonete da cidadezinha de Bon Temps, Louisiana, dotada do poder de ler mentes. Ela logo se interessa por Bill Compton, um vampiro charmoso de 173 anos.

A série conta mais do que uma história de amor humano-imortal. Ela traz toda a discussão política, religiosa e social dessa volta dos rejeitados, como as pessoas se comportam, falam ou agem perto deles. Como eles fazem as mesmas coisas em relação aos humanos, o porquê da decisão de tomar o TB, e o que acontece quando não tomam. São as diferentes formas de vida e todo o bom complexo existencial que todos adoram.

É instigante, curioso, intenso, engraçado e sexy, completamente viciante. Apesar do bom enredo e dos bons atores, as menções e comparações com Buffy, Angel e Twilight são inevitáveis, e a principal acusação pode ser de ter se "aproveitado" da onda trazida por Stephenie Meyer, mas os fãs parecem não se importar. Ao contrário, os twilighters adoram True Blood. A série, criada por Alan Ball (Six Feet Under), estreou no Brasil esse ano e está no quinto espisódio, ainda dá tempo de acompanhar (os resumos podem ser assistidos no site oficial). O canal principal é o HBO Plus e os episódios inéditos vão ao ar aos domingos.

Buffy, Angel, Twilight, Blade ou True Blood: os vampiros estão mais em alta do que nunca.

4 comentários:

Pedro Zambarda disse...

Não curto muito seriados. Acho que essa onda de "vampirismo" deveria ser melhor desenvolvida =P

Não que histórias insinuadoras/pornográficas não tenham crédito. Elas tem.

Thiago Dias disse...

Com tudo respeito a quem gosta..mas True Blood da um banho em Crepusculo.

Pedro disse...

Essa onda de "vampirismo" me lembra André Vianco.

Acho que o pessoal devia ler Bram Stoker e ver o original, também. Considero melhor.

Thiago Dias disse...

Sabe o que eu acho mais engraçado? Tanto em True Blood, como em Angel ou Buffy que são mais antigas, mas principalmente em Crepusculo, os vampiros parecem ser criaturas chupadas daquilo que a Anne Rice fazia, mas sem o charme dela. O Edward me lembra tanto o Louis que chega a fica constrangedor

Posts mais lidos