quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Spirit: as novas aventuras

Lançamentos de Spirit aqui no Brasil são muito raros. É impossível encontrar histórias em português do heroi: os importados custam os olhos da cara e a minissérie da Panini, que mostra aventuras escritas por artistas variados, está sendo lançada a conta-gotas. Por isso, assim que vi o encadernado Spirit: as novas aventuras, comprei na hora. E não me arrependi.

São oito histórias em 148 páginas, escritas por diversos artistas. As três primeiras foram feitas no molde tradicional: apenas sete páginas. As outras cinco são trabalho da dupla Paul Smith e Sérgio Aragonés, e possuem 22 páginas cada.

O emblemático personagem criado pelo gênio dos quadrinhos Will Eisner veio ao mundo em 1940, em um especial inserido dentro do jornal. Sua pequena máscara só foi adicionada graças à febre causada pelos herois mascarados que estavam surgindo (Superman, em 1938, e Batman, em 1939).

Com a estreia do filme dirigido por outro mestre dos quadrinhos (o roteirista/desenhista/diretor de cinema e ator de pequenos papéis Frank Miller) cada vez mais próxima, o encadernado chega em boa hora. Até o dia 20 de março, quando Spirit invadirá as telonas brasileiras, o leitor novato pode aproveitar para correr atrás do prejuízo. Quanto aos veteranos conhecedores do personagem, não é preciso dizer muito: corra até a banca e aproveite!

Um comentário:

Thiago Dias disse...

Will Eisner foi simplesmente o Orson Welles dos quadrinhos. Contrato com Deus é das obras mais geniais que já li. O grande problema que Spirit enconrta no Brasil, na minha opinião, é o clima noir mto exaltado. Não faz tanto sucesso assim no Brasil..uma pena, pq eh um puta personagem. Pena tambem a adaptação pros quadrinhos ter sido um dos maiores fracassos de 2008 nos EUA. Sera que o Frank Miller erro tanto a mão assim?

Posts mais lidos