terça-feira, 14 de abril de 2009

A queda - momentânea - de um ídolo


A fase dele já não andava nem um pouco boa. O ano começou com duas contusões seguidas na coxa, sendo a segunda em decorrência do retorno antecipado da primeira. Em seguida veio a "seca de gols": nenhum no campeonato paulista e nem na Libertadores. Por fim, as falhas. Justamente elas, que poucas vezes estiveram em sua companhia. Algo estava errado, muito errado com Rogério Ceni nos últimos dias. E tudo está seguindo na pior forma possível: Rogério rompeu o ligamento de seu tornozelo esquerdo, e ficará de fora dos campos por 6 meses. Essa é a maior ausência na carreira do jogador de 36 anos.

É um extremamente complicado medir a importância que Rogério Ceni tem hoje para o São Paulo. O goleiro é hoje o maior ídolo de um clube brasileiro, talvez ao lado de Marcos, do Palmeiras. Rogério não é apenas um grande goleiro, é uma referência, um daqueles jogadores que dizemos que “fazem a diferença”. E esta diferença que Rogério faz vai muito além de suas defesas, que por vezes são espetaculares, com uma dificuldade contida, sem malabarismos como gostariam tantos outros.

Rogério responde hoje pela essência do que é o São Paulo Futebol Clube. Vestiu a camisa do time mais de 750 vezes nestes 18 anos que de time profissional. Nenhum jogador no Brasil hoje tem este número. A identificação é tanta que não se imagina Rogério Ceni e São Paulo como coisas distintas, pois eles formam a mesma entidade, uma entidade que gera respeito e admiração no mundo todo, mesmo que aqui tal respeito esteja camuflado pela rivalidade. Sua importância em campo vai além das grandes defesas, ou das reposições de bola incrivelmente precisas. O goleiro é uma extensão do técnico, com a vantagem de estar ali no meio, de ver o jogo de uma posição privilegiada. E ele conversa com a defesa durante quase todo o jogo que, não por coincidência, é a área mais elogiada do São Paulo nos últimos anos. A interação Muricy-Rogério-Defesa tem sido perfeita.

Rogério Ceni vai fazer falta nestes próximos 6 meses, muita falta. Não será mais a mesma coisa ver em campo o São Paulo com um outro goleiro embaixo das traves. Não que o experiente Bosco não seja um bom substituto. Por diversas vezes ele provou que dá conta do recado. Mas o time parecerá perdido, sem uma liderança definida. A torcida não terá mais aquela referência, não sentirá mais aquele frio na barriga toda vez que uma falta perto da área adversária surgir. Os adversários não terão mais que se preocupar em marcar toda a reposição de bola. Os zagueiros não terão mais a mesma segurança quando precisarem recuar o lance para o goleiro. E os atacantes adversários não precisarão mais se preocupar em tomar algum drible desestimulante de um goleiro. O São Paulo não terá... ou melhor, o futebol brasileiro não terá mais Rogério Ceni. Serão 6 meses muito estranhos. E não há Ronaldo que possa cobrir esta falta.

Força Rogério... quando esta fase passar e você voltar, porque você vai voltar, estaremos por aqui, gritando seu nome, reverenciando sua elegância e retribuindo cada gota de sacrifício que você faz por seu time.

7 comentários:

Mari Bruno disse...

Sem mais, Rogério é foda.

Leonam Bernardo disse...

Revisar é viver.

Thiago Dias disse...

ah prometo que quando tive tempo reviso. "La semana del diablo" não permite

Cecília do Lago disse...

O leitor não tem a ver com diablo nenhum. Textos devem ser sempre revisados antes de publicados. A pressa da web não pode comprometer a precisão de um texto.

Mari Bruno disse...

Nossa, e vc eh muito ética e correta pra falar né? Seu pedido de desculpas ainda está pendente. Adoro quem entra aqui só pra criticar o trabalho dos outros.

Pedro Zambarda disse...

Gente, acalmem os ânimos, rs.

Concordo sim que falta ao Thiago dar uma refinada antes de postar, apesar que eu valorizo a vontade de escrever, antes mesmo do próprio texto. É como ter vontade de dar a cara a bater.

Mas não tiro a razão dos críticos. Por outro lado, é preciso ser claro aqui: os editores não olham antes. Não revisei nada nesta semana, por conta de trabalho. Então, fico devendo pra esse feriado (além do meu descanso).

Pedro Zambarda disse...

texto corrigido. Qualquer coisa, berrem ai.

Posts mais lidos