quinta-feira, 22 de maio de 2014

Vladimir Safatle comenta sobre sua frustração com o PSOL

O professor de filosofia da USP, Vladimir Safatle, era pré-candidato às eleições de governador de São Paulo pelo PSOL (Partido Socialismo e Liberdade). No começo desta semana, ele foi surpreendido pela substituição pelo professor da UFABC, Gilberto Maringoni, que passará a representar a legenda de esquerda contra Geraldo Alckmin (PSDB) e Alexandre Padilha (PT) nas eleições de outubro deste ano. Em uma entrevista esclarecedora ao jornalista Bruno Torturra (FLUXO e Mídia Ninja), o docente comenta suas frustrações. Confira abaixo.



Um trecho importante da entrevista, dito por Safatle: "Eu sou um professor que gosta do que faz, vou ser sempre um professor. No entanto, acho que a figura do político profissional é execrável. Isso é uma distorção da democracia. Não deveria haver políticos profissionais, que é deputado cinco ou seis vezes. Não deveria existir uma classe política. Se você tivesse outro tipo de prática, onde as pessoas entram na política, fazem o debate e depois voltam para suas [outras] atividades, você percebe como a lógica seria diferente?".

Posts mais lidos