sexta-feira, 7 de maio de 2010

Vai para Buenos Aires? "Plaza del Carmen" nem pensar!

As pessoas que moraram fora têm o costume de dar sugestões sobre lugares bons em seus blogs e colunas. Eu, que tive minha experiência em solo argentino, venho dessa vez dar uma dica não muito positiva. Meu texto de hoje é para aconselhar os leitores do Bola que têm intenção de viajar a Buenos Aires a não irem ao restaurante "Plaza del Carmen", que fica na frente do Congresso da Nação Argentina, na esquina das avenidas Rivadavia e Callao.

O local parece se destacar em meio aos outros restaurantes da praça do Congresso. Com janelas enormes e porta de vidro, os que passam pela calçada pensam que o lugar é aconchegante e elegante ao mesmo tempo. Os garçons, todos vestidos impecáveis, causam uma boa impressão.

Estive lá a última vez neste mês de janeiro. Fazia muito calor e eu e um grupo de estrangeiros que comigo estavam, resolvemos parar para almoçar no "Plaza del Carmen". Lá dentro, uma surpresa. Saimos do Saara e fomos para a Finlândia... a intensidade do ar condicionado estava forte demais! Enquanto escolhíamos o que iriamos comer, pedi, gentilmente, ao garçom para aumentar a temperatura do ar, já que estávamos todos com roupas muito frescas.

O garçom, no entanto, me disse: "Não é possível mudar a temperatura do ar". Estranho, não é? Eu e meus amigos ficamos intrigados, mas deixamos para lá. Chamamos o senhor de novo para que pudéssemos fazer os pedidos. Um de meus amigos havia escolhido comer arroz com salmão grelhado, mas no cardápio, o prato era composto, também, por alguns legumes - que este amigo não estava nem um pouco disposto a comer. O garçom nos disse que seria impossível tirar os legumes do prato e que na Argentina, não se mudava o que já estava pronto somente por "questão de gosto", afinal, "havia outras opções no cardápio" e meu amigo teria, portanto, que escolher uma que lhe agradasse 100%. Aquilo não me desceu nada bem, afinal, já conhecia bastante a terra hermana e posso assegurar que na Argentina as coisas não funcionam com essa arrogância enorme.

Relevamos o máximo que pudemos. E como relevamos! O estopim foi quando as meninas - todas de vestido - começaram a sentir tanto frio que ficaram com os pêlos de seus braços arrepiados. Chamei o garçom novamente e esse me disse - em alto e grosseiro tom de voz - que não iria aumentar a temperatura do ar, porque se não, eles - os garçons - iriam sentir calor. Não iriamos demorar mais do que 20 minutos até irmos embora. Seria o fim do mundo nos conceder este pedido? Afinal, os clientes éramos nós. É assim que se trata um cliente? (Em relação à grosseria, nem vale a pena entrar no mérito, já que depois, choveram grosserias contra nós).

Naquele momento, a única coisa que queríamos era pagar para pudéssemos ir embora daquele lugar. E não é que até nessa hora houve estresse? O dono do restaurante, que estava no caixa, queria que pagássemos tudo em um só cartão, ou em dinheiro vivo. Segundo ele, "na Argentina é assim". Aí fiquei realmente nervosa, e disse que não eram todos os argentinos que tratavam seus clientes com tamanha arrogância e falta de respeito. O cidadão me respondeu: "vocês, brasileiros, acham que sabem de tudo, não é? E fique na boa, aqui não se sobe o tom de voz". Aquilo foi o suficiente para eu sair andando sem nem me dar ao trabalho de responder.

Mal sabia ele que brasileiros naquele grupo eram minoria e que se há algum problema em relação a nós, do Brasil, ele esqueceu de avisar todo o resto da nação argentina, que sempre me tratou com muito respeito e carinho. O desinformado e prepotente dono do "Plaza del Carmen" não tem a mínima noção de que somos nós, os brasileiros, que alimentamos seu turismo e fazemos girar parte de sua economia gastando nossos reais em sua terra.

6 comentários:

Ana disse...

Olá Fernanda!

Realmente "Plaza del Carmen" deixa muito a desejar, não só pelo sua cozinha, mas também por seu atendimento que dá aquele tempero nada especial e tão pouco agradável.

Pertinente seu comentário!

Fica a Dica! ;)

Pedro Zambarda disse...

Crítica e coerente.

Parabéns, Fê :)

Fukui disse...

eh uma coisa muito normal em varios locais q eu fui comer (fora do brasil) nao se mudar coisas do cardapio, e mesmo em alguns restaurantes tb nao se mudam coisas do cardapio. questao do chefe, nao da pra discutir com o cara q faz a sua comida.
com relacao ao resto da critica concordo plenamente, os argentinos sempre me trataram muito bem e um idiota destes deveria perder toda clientela. #FATAO

Luisa Moser disse...

São uns pelotudos!

Juliana Schirmer disse...

Que coisa! Encontrei teu post justamente qdo estou fazendo o meu, mas fomos bem tratados...De qqr forma, posso ter dado sorte e vou te citar em meu futuro post que inclui um desayuno no Plaza del Carmen.

Bjs!

Ah, é natalemportoalegre.blogspot.com

Kinho Ribeiro disse...

Interessante, minha noiva e eu fomos no Plaza del Carmen na esquina da Santa Fé com a Scalabrini Ortiz e fomos muitissímos bem atendido. Era por volta das 9 horas, com céu azul e a temperatura do restaurantes estava fresca. Tomamos nosso café bem servido, que deve nos ter custados uns 20,00 reais para os 2, coisa que aqui em São Paulo, só dá pra um expresso e um pão na chapa.
Q pena terem passado por isso.

Posts mais lidos