quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Não é "só...", mas é "yeah..."


Uma coisa é o seu gosto por esportes não coincidir com os de Stacy Peralta, Jay Adams e Tony Alva, outra coisa é não notar que um filme como Reis de Dogtown (Lords of Dogtown) tem a sutileza que, talvez, não existisse se não tivesse sido dirigido por Catherine Hardwicke. Atualmente, a diretora está dirigindo o tão esperado filme Crepúsculo, adaptação cinematográfica do livro homônimo de Stephenie Meyer, mas já em 2003, dois anos antes do lançamento de Reis de Dogtown, Catherine dirigiu o polêmico Aos Treze.

Talvez haja um titubeio quanto a um enredo, mesmo baseado em fatos reais, que trata de um trio de loiros californianos que, não contente em surfar nas grandes ondas de Venice Beach, promovem o caos com seus pés sobre outras pranchas, desta vez móveis sobre rodas, não água. Dentre um grande grupo de garotos skatistas, destacam-se Stacy (John Robinson), J.A. (Emile Hirsch) e Tony (Victor Rasuk), três amigos já previamente inseparáveis, que compartilham uma mesma paixão pelos esportes. Liderados por Skip Engblom (Heath Ledger), os Z-Boys carregam o nome de sua loja, a Zephyr Skate Shop, pelos concursos que participam.

Foi quando decidiram dar às caras ao mundo, que este os acolheu com grande fervor. Ainda que Tony tivesse recusado a primeira oferta – a mesma oferecida, então, para os três –, mais tarde ele cairia na conversa de Topper Burks (Johnny Knoxville). Stacy também é levado por outro empresário, enquanto Jay resolve largar o grupo de Skip. Acontece que, conforme vai passando o tempo e a fama deles, crescendo, o distanciamento acaba se tornando o motivo de, mais tarde, eles se verem como estranhos. Não somente Tony levava as competições contra Stacy muito a sério, como Jay permanecia em Venice, com os mesmos amigos, preso em sua vida desregrada.

Bastou um acidente durante um torneio – e um proposital soco no olho – para que Tony ficasse hospitalizado e Stacy ficasse sabendo que Sid (Michael Angarano), um dos velhos amigos, estava muito doente. E é visitando Sid que o trio se reúne, desconhecendo-se. Mas é nessa mesma parte que uma das mais belas cenas do filme acontece: Sid, de cadeira de rodas, assiste aos três andarem de skate na piscina vazia de sua casa, como costumavam fazer nos velhos tempos. Os garotos, não contentes em fazer de Sid somente um espectador, levam-no para dentro da piscina, circundam-no com suas manobras sobre o skate e fazem-no sentir as curvas da piscina mais uma vez, novamente sobre rodas.

O roteiro do filme foi escrito pelo próprio Stacy Peralta, que faz participação do filme, singelamente, como um diretor de TV. Não só ele foi posto no jogo, como também Tony Hawk, promovido por Stacy aos quatorze, quando ingressara na companhia de skate Powell Peralta, aparece como um astronauta que, ao tentar “brincar” com o skate de Peralta, escorrega e cai. Os verdadeiros Tony Alva e Jay Adams também têm uma curta aparição, na festa dada por Skip, apenas como convidados.

Às dicas:

Para as tietes de plantão que não curtem nem skate, nem surf, vale a pena ver outra vez o aclamado garotinho loiro de Elefante (filme de Gus Van Sant), agora de mega hair. Heath Ledger também não fica para trás, com o seu jeito junkie, como deixara transparecer com Coringa, em Batman, O Cavaleiro das Trevas, além do sex-symbol de Jackass, Jhonny Knoxville, agora loiro e a la pimp – mesmo fazendo festinhas particulares com um transsexual.

Para os marmanjos que preferem futebol ou simplesmente não se interessaram pelo filme, talvez se interessem pela caliente irmã de Tony, Kathy Alva, interpretada por Nikki Reed, a Sadie de The O.C. Já para os fãs de surf e skate que ainda não viram e não conhecem os Z-Boys... meus pêsames!

Mas então...

Ver um filme como Reis de Dogtown não só vale pelos atores, como também pela narrativa dinâmica, a fotografia de cores saturadas, o figurino retrô e a trilha sonora com o melhor do rock, desde Iron Man (Black Sabbath) até Voodoo Child (Jimmy Hendrix) – sem se esquecer de Cher, com Half Breed.

3 comentários:

Pedro Zambarda disse...

Apesar da Cher, a trilha sonora desse filme me surpreendeu o.o eu espera uns punkzinhos.

Lidia Zuin disse...

tem uns surf rock na verdade XD

Pedro Zambarda disse...

ah tá XDDDDDD

Posts mais lidos