terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Um sorriso de esperança

Projetos sociais tentam resgatar dignidade humana de moradores de rua


Nas horas do dia em que sua mente está lúcida, Dona Maria das Graças Ribeiro, de 50 anos, gosta de conversar e compartilhar as dores que viveu no passado. Aos 15, depois da morte de sua mãe, ela foi morar nas ruas do Rio de Janeiro (RJ) para fugir da perda e da fúria de seu pai. Não fosse a ajuda que encontrou na Toca de Assis, casa que dá apoio a moradores de rua, Dona Maria estaria ainda mendigando comida, emprego e dinheiro. “Sofri abuso sexual, fui humilhada e agredida. Jogavam pedra em mim, chutavam... A Toca veio ajudar eu ser gente de novo, porque eu parecia um animal”, desabafa.

Hoje, a ex-moradora de rua vive na filial da Toca de Assis em Cruzeiro. A instituição, fundada em 1994, segue o exemplo de São Francisco de Assis – santo católico que viveu no século 13 e abriu mão de tudo para cuidar dos pobres. Há 11 anos no Vale do Paraíba, o instituto tem casas também em Guaratinguetá e Potim. No Brasil, são 76, além de duas no exterior – em Portugal e no Equador.

“Nosso objetivo é resgatar essas pessoas e ajudá-las a se reintegrar na sociedade. Para os que moram conosco, oferecemos três refeições diárias, ensinamos a catequese, fazemos festa de aniversário, levamos para passear. Se forem doentes, providenciamos medicamentos e fazemos curativos”, explica a responsável pela casa de Cruzeiro, Irmã Nazareth Maria.

Atualmente, dez mulheres vivem na casa, que sobrevive por meio de doações. Mas, além de cuidar das que moram no local, as irmãs toqueiras ainda oferecem alimentação para os demais moradores de rua da cidade, assim como corte de cabelo e assistência espiritual. “Na nossa casa, vivem conosco apenas mulheres porque temos nove religiosas nessa missão. Tem local que atende homens e outros apenas mulheres. Mas para ajudar também aqueles que não podem morar conosco, fazemos essa pastoral nas ruas para tentar minimizar o problema deles”, conta Irmã Nazareth.

Outro projeto social que busca ajudar moradores de rua é a Casa do Bom Samaritano, em Cachoeira Paulista. A obra é ligada a Canção Nova, comunidade católica que também sobrevive por meio de doações. No local, os mendigos não podem morar, mas recebem alimentação, higiene pessoal, atividades educativas, roupas, cestas básicas e oficinas artesanais.

Segundo a assistente social da casa, Roberta Vicente, o apoio a essas pessoas é fundamental para retomar a dignidade humana delas. “A maioria dos usuários que vem aqui encontra-se num processo de desintegração social e exclusão do mercado de trabalho, sentindo-se isoladas em seus relacionamentos: sem família e nem grupos que lhe ofereçam ajuda”.

Jorge da Silva é natural de Salvador (BA). Saiu de casa aos 17 anos por causa das drogas. Hoje com 25, tenta sair do seu mundo de tráfico, prostituição e bebidas nas ruas do Brasil. “Já viajei por esse país todo. Cheguei aqui na casa suplicando socorro. Não aguento mais essa vida. Sou jovem, quero reencontrar minha família e arrumar um emprego”. Jorge vai ser encaminhado para uma casa de recuperação de dependentes químicos. Uma das funções da Casa do Bom Samaritano é encontrar outra solução para o problema, quando ela não pode resolvê-lo.

Uma das poucas pesquisas existentes no país sobre moradores de rua, feita pelo Ministério de Desenvolvimento Social e a Unesco, mostra que a maioria deles são homens, com idade entre 25 e 44 anos. Quanto a escola, grande parte têm o ensino fundamental incompleto e entra nesse tipo de vida, assim como Jorge, por conta de alcoolismo ou outro tipo de droga.

A psicóloga Angelita de Souza acredita que é fundamental esse trabalho com moradores de rua para reintegrá-los na sociedade. “Os projetos sociais são essenciais para ajudar a extinguir os mendigos das ruas. Quando voltam a ter amor próprio, eles se sentem motivados a mudar e procuram voltar para a família, arrumar um emprego e viver bem”, conclui.


Onde encontrar?

Para fazer doações ou encaminhar um morador de rua para essas casas o endereço é:

Toca de Assis

Rua Capitão Neco, 951, centro, Cruzeiro (SP)

Telefone: (12) 3143 7479


Casa do Bom Samaritano

Rua João Paulo II, s/n, Alto da Bela Vista, Cachoeira Paulista (SP)

Telefone: (12) 3186 2204

Foto e reportagem: Ariane Fonseca

Nenhum comentário:

Posts mais lidos