quinta-feira, 28 de maio de 2009

Como não torcer para esse time?

Nunca simpatizei muito com o Barcelona. Na Europa, desde 1999 meu time é o Manchester United, após aquela vitória histórica contra o Bayer de Munique. Na Espanha, sempre torci para o Real Madrid. Culpa de um tal de Zidane. Ou seja, tinha todos os motivos do mundo para torcer contra o Barcelona na final de ontem contra o (meu) Manchester. No entanto, toda esta torcida que já encontrava uma tremenda dificuldade para se manter em pé, foi derrubada. Derrubada ao mesmo tempo em que eu me erguia para aplaudir o time de Josep Guardiola.
Como resistir a um time que tem como filosófia de jogo o ataque puro e simples? Bola no chão, passando de pé em pé, até encontrar algum espaço na defesa adversária. Como resistir a um time que, numa época onde a posição mais valorizada pelos técnicos é o volante, joga com apenas um? Como resistir a um time que joga 61 partidas no ano e marca 157 gols, média de 2,57?
O que ocorreu ontem foi o duelo entre a melhor defesa do mundo, armada como um muro intransponível por Alex Ferguson, e que encontra nas figuras de Cristiano Ronaldo e Rooney sua válvula de escape para o ataque, contra o melhor ataque do mundo, um time armado de forma que 90% dos técnicos atuais considerariam suicida, baseada não apenas no talento sobrenatural de Messi, mas também na genialidade de Iniesta, na eficiência de Eto’o e na experiência de um Henry que nunca deixou de ser encantador. Atrás, uma defesa que era considerada inconstante, que encontra apenas em Puyol uma âncora sustentável.
O Barcelona da temporada 2008/09 entrou para a história como o Barcelona mais vitorioso da história, conquistando a tríplice coroa, e vencendo mais que qualquer outro. E tal fato é emblemático. Numa época em que até mesmo Brasil e Argentina vêem adotando o futebol pragmático e retranqueiro, a esperança vem da Espanha, que mostra ainda ser possível sim vencer jogando um futebol ofensivo, leve e, até mesmo, bonito.

Se a seleção espanhola havia espantado o mundo no ano passado com a conquista invicta da EuroCopa, o Barcelona deste ano, com um time primordialmente montado com jogadores formados pelo próprio clube, nos dá a adorável esperança -quem sabe ilusão – de que o futebol é cíclico, e esta falta de criatividade crônica seja apenas temporária.

Um comentário:

amany disse...



شركة تنظيف في الكويت شركة تنظيف بالكويت
فني صحي فني صحي في الكويت
سباك الكويت سباك بالكويت

شركة تنظيف كنب الكويت شركة تنظيف كنبات الكويت
ادوات صحيه الكويت ادوات صحيه الكويت
شركة غسيل سجاد الكويت مصبغة غسيل سجاد الكويت

Posts mais lidos