quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Feira pra Musicistas


Dia 26 de setembro, sexta-feira, após dois dias de portas fechadas para o público, com entradas exclusivas para músicos, expositores e jornalistas, a Expomusic 2008 abriu seu evento para novos visitantes. Trazendo fabricantes de tradição, como Yamaha, Roland, Epiphone e Michael, entre muitas outras, o evento também contou com instrumentos disponibilizados gratuitamente para serem testados pelo público em execuções musicais.

Por Pedro Zambarda de Araújo

Entre as novidades, a guitarra SG Robot da fabricante Gibson traz a inovação em ter uma afinação automática, além de conexões USB com computadores, trazendo o timbre perfeito para músicos profissionais. Presente no estande conjunto da Royal Music/Musicman (fabricante famosa de contrabaixos) e da Epiphone, indústria de guitarras que pertence a Gibson norte-americana, esta guitarra elétrica dividia espaço com os instrumentos modelos Les Paul baseados nos instrumentos do lendário ex-guitarrista do Guns´N´Roses, e atualmente no Velvet Revolver, Saul Hudson “Slash”.

A empresa Nenis Eletrônica trouxe uma bateria totalmente virtual. Nela, basta que o músico execute as batidas em pontos filmados por uma câmera, que é sensível o suficiente para distinguir a força em cada baqueta.

Em exposição de 100 anos de existência, a fábrica Di Giorgio fez uma amostra com seus violões históricos e permitiu que músicos desfrutassem de uma sala com isolamento sonoro, para tocar diversos tipos de instrumentos acústicos. O violão de 7 cordas era uma das atrações disponíveis, além dos instrumentos mais convencionais em 6 cordas.

Estandes como a Star Iluminação atenderam DJs e pessoas interessadas em música eletrônica, mostrando um led floor de 253 cores e lasers que reproduziam uma réplica do porquinho Gaguinho na parede enquanto uma música alta e ritmada contagiava o público.

Portando ou não fones de ouvido, o músico amador ou profissional podia criar seu próprio som com guitarras, violões, pianos, saxofones, trombones, gaitas, teclados e contrabaixos disponíveis para experimentação, uma das maiores tradições do evento. Os instrumentos de cordas das marcas Tagima, Condor e Groovy eram vendidos e tocados pelas inúmeras pessoas que transitavam nos locais. Em algumas ocasiões, era possível também tocar uma guitarra modelo Fender, tradicional dos norte-americanos, mas em uma versão mexicana.

Dos músicos profissionais presentes, Hugo Mariutti e Fábio Ribeiro, guitarrista e tecladista da banda André Matos, respectivamente, passaram das 16h em diante perambulando pelo evento, lanchando com fãs e colegas de trabalho em uma sexta-feira aparentemente calma de evento. Às 18h30 foi possível conferir Luís Mariutti, irmão de Hugo e baixista da banda André Matos, executando um solo improvisado de contrabaixo em apresentação ao lado da estande da fabricante Tagima.


Às 20h, apresentando parte de composições próprias para sua futura carreira solo, o guitarrista da banda Angra, Rafael Bittecourt, se apresentou no estande da Boss, fabricante especialista em produção de pedais para modulação sonora. No mesmo horário, novamente no estande da Tagima, Eduardo Adranuy, guitarrista da banda Dr. Sin, apresentava solos virtuosos e cheios de energia para um público que lotava o bancos e a parte externa do show.



O evento também teve pequenos e grandes shows de bandas nacionais como Hangar e Almah (projeto solo do vocalista da banda Angra, Edu Falaschi) no sábado, dia 27, e domingo, dia 28. Músicos menores, menos famosos, também se apresentaram, gerando um espaço democrático entre celebridades e instrumentistas em desenvolvimento.

Na edição comemorativa de 25 anos, a ExpoMusic traz o modelo de feira de instrumentos tradicional e sem muitas novidades para quem freqüentou suas edições anteriores. Haviam promoções de CDs a preços baixos (o novo CD do Almah, Fragile Equality, custava apenas R$20).


O evento era para quem acaba de entrar nesse mundo de ritmos, harmonias e muita melodia.

Fotos, feitas pelo autor do texto:

#1: Baixos e violões expostos pelo evento.
#2: Estande da Di Giorgio. 100 anos de sucesso no mercado de violões.
#3: Luís Mariutti realizando um solo de contra-baixo.
#4: Rafael Bittecourt tomando água em uma pausa, após tocar sua guitarra Yamaha.

6 comentários:

jorge telles disse...

"Da 26 de outubro, sexta-feira, após dois..." ... "Portanto ou não fones de ouvido..."

Primeiro: ainda estamos no dia 9 de outubro.
Segundo: seria "dIa" em vez de "da"?
Terceiro: seria "portanDo" em vez de "portanto"?
Quarto: Você escolhe muito mal as palavras. Monta frases de difícil compreensão e com raríssima coesão.
Resumindo, você escreve mal.
Quinto: só eu comento nos seus posts? Que triste.

Abraços,
Jorge

Pedro Zambarda disse...

obrigado pelas correções.

Thiago Dias disse...

Um paraiso para instrumentistas...Mas talvez falte algo pra quem não eh.

Anônimo disse...

Couldnt agree more with that, very attractive article

Anônimo disse...

This is such a great resource that you are providing and you give it away for free. I enjoy seeing websites that understand the value of providing a prime resource for free. I truly loved reading your post. Thanks!

ninest123 disse...

longchamp handbags
discount ray ban sunglasses
swarovski crystal
ralph lauren uk
oakley sunglasses
tods outlet
pandora bijoux
coach outlet
cheap mlb jerseys
fitflops shoes
mt0708

Posts mais lidos