quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Sopa de Letras

Não tive árvore de Natal, nem enfeites corriqueiros. Não tive comidas tradicionais, mas a correria de sempre aumentou. Ano de produção foi esse, ano de resistência, de inovação para minha pessoa.

Isso prova que nem sempre as pessoas deixam de comemorar essa data como as outras são necessariamente revoltadas com o significado da celebração. Talvez o tempo transforme as coisas, dê outras prioridades. E quando os objetivos mudam, certas pompas também se alteram.

Sopa de Letrinhas são crônicas (que deveriam ser) publicadas às quintas-feiras.

Falam de comunicação, de protesto e contra-protesto.

Posts mais lidos