terça-feira, 17 de março de 2009

Um mergulho em laranja, branco e muito verde



Em São Paulo, festival divulga cultura e celebra amizade entre Brasil e Irlanda

De 17 a 27 de março, São Paulo será palco do Festival Cara Irlanda. Esse é o primeiro grande evento do Instituto Brasil-Irlanda (http://www.irishinstitute.com.br/), fundado há um ano, e que tem o objetivo de divulgar a cultura Irlandesa e promover a união entre os dois países, nos mais variados aspectos.

Cara é a palavra para amigo em gaélico, o idioma oficial da Irlanda junto com o inglês, e demonstra a ideia por trás desse festival. Apesar não ter recebido muitos imigrantes irlandeses, o Brasil nutre uma grande curiosidade e admiração pelo país “Os laços culturais são incrivelmente mais fortes do que qualquer relação de imigração. Embora sejam tão poucos no Brasil [os irlandeses], os brasileiros são ávidos de saber da Irlanda” afirma Maria Alice Ancona Lopez, Presidente do Instituto Brasil-Irlanda.

Nos seus dez dias o evento procura unir diferentes atividades e compor uma programação diversa que vai da música à literatura, passando pela gastronomia, dança e, é claro, cerveja. O dia 17 marca a data oficial da inauguração do conhecido St. Patrick’s Day, o feriado mais importante e dia nacional da Irlanda. “Em primeiro lugar, é um dia de patriotismo. Mais do que tudo esse evento é a celebração da identidade que a gente tem como povo irlandês” diz Stephen Little, professor irlandês de Gaélico do Departamento de Línguas Modernas da FFLCH/USP, que mora há sete anos no Brasil.

Stephen afirma que o dia de São Patrício, principalmente depois da independência, teve a função de resgatar o orgulho e autoconfiança do povo Irlandês após os séculos de ocupação britânica da ilha. Hoje em dia, as comemorações tem se afastado do seu caráter religioso, se secularizando cada vez mais e se firmando como uma verdadeira identidade irlandesa. O dia é celebrado em diversos países do mundo, principalmente naqueles com grandes populações imigrantes, como os Estados Unidos, o Reino Unido e a Austrália.


Historicamente, Brasil e Irlanda não são países muito próximos. Stephen, porém, destaca alguns laços que unem os dois povos “A gente passou muito por isso, o povo não tinha nada. Essa história de brasileiros saindo daqui pra Europa. Isso é nossa história”. Os dois episódios de grandes fomes que assolaram a Irlanda marcaram o povo e a cultura, e trouxeram, segundo o professor, um jogo de cintura que se assemelha ao jeitinho brasileiro.

Uma lenda Irlandesa, que data do século X, discorre sobre um local que só pode ser visto a partir das Ilhas Aron, no noroeste do país. Essa Ilha supostamente teria tempo bom durante todo o ano além de aves e animais coloridos e seu nome era Hy-Brasil, “essa lenda se refere ao suposto conhecimento pelos irlandeses do Brasil, antes do país ter sido descoberto. O que se diz, então, é que o Atlântico é o que nos une, não o que nos separa” comenta a presidente do Instituto Brasil-Irlanda.

A abertura oficial do evento será hoje, às 17hrs, no Teatro Eva Herz do Conjunto Nacional, e contará com a presença do Embaixador da Irlanda Michael Hoey, além de um coquetel. A programação completa do Festival pode ser vista em http://www.irishinstitute.com.br/cara1.html

4 comentários:

Thiago Dias disse...

Teve uma coisa no mundo que me fez amar a Irlanda mesmo sem conhecê-lá. E não, não é o U2. E sim "Whisky in the Jar"!! Só um país mto legal teria uma musica folclória dessa!

Pedro Zambarda disse...

Irlanda é o país dos homens com calças em cima da camisa e suspensórios mais feliz do planeta.

Viva a Guiness!

Diego disse...

Notícia interessante. Só dê mais uma olhada na pontuação: faltam algumas vírgulas e pontos.

Pedro Zambarda disse...

Diego, muito obrigado pela crítica e as correções.

Caso ainda haja erros no texto, me dá um toque via msn ou e-mail que eu mudo ;]

Posts mais lidos