segunda-feira, 30 de março de 2009

Last.fm quer se tornar paga, mas...


Será que tornando seus serviços pagos, a Last.fm vai continuar sendo
uma revolução?


Após 6 dias desde o anúncio, o blog da Last.fm retomou as noções acerca da nova regulamentação da rádio online. Foi publicado, no dia 24, que os usuários não pertencentes aos Estados Unidos, Inglaterra ou Alemanha, precisariam pagar uma assinatura de €3.00 mensais, caso quisessem continuar ouvindo músicas completas, fazendo download destas e desfrutando da rádio, a qual funciona por associação de bandas, tags ou usuário. Como manobra publicitária, 30 downloads de músicas ainda estariam disponíveis aos usuários gratuitos, para que estes se sentissem instigados a fazer upgrade de suas contas.


Muitas pessoas se manifestaram contra, logo na postagem do blog. Até mesmo quem se encontra nas áreas poupadas pela nova política de serviço não se absteve de críticas. Os mais frequentes questionamentos foram o por quê da exclusão dos três países e da cobrança, propriamente.

Por causa desse grande número de feedbacks, hoje, foi postada uma revisão do anúncio. Richard Jones, criador do projeto de Audioscrobbler e atualizador do blog, explica que a Last.fm Radio sempre teve a publicidade como maneira de se manter gratuita. Ele, inclusive, faz menção à multinacionalidade dos anúncios: aspecto que faz com que a Last.fm se torne “internacional ao extremo”.


“Entretanto, nós simplesmente não podemos estar em todos os países em que o serviço de rádio está disponível vendendo os anúncios publicitários que nós precisamos para sustentar o serviço. A Internet é global e restrições geográficas parecem injustas, mas é uma realidade que nós enfrentamos todos os dias enquanto estamos administrando nossas parcerias de licença musical.”


Alguns usuários resolveram fazer uma campanha imagética através de seus avatares. O grupo FREE IS FREE disponibilizou a figura


O grupo, que tem como top artists as bandas
Radiohead e Coldplay, conseguiu 2500 membros em 5 dias


Assim como há um tempo, usuários do antigo Fotolog.net, hoje Fotolog.com, fizeram esse mesmo tipo de protesto contra a mudança do “net” para o “com” e tiveram suas contas ameaçadas de sair do ar, será que a Last.fm vai tomar alguma atitude contra os usuários que estão contra?


Por enquanto...
Para tentar amenizar a situação, a Last.fm pretende adiar a data em que a rádio se tornará paga e, nesse meio termo, também haverá outras novidades. Haverá a possibilidade de um usuário pagar a assinatura para um amigo, o scrobbling poderá ser feito a partir de outras rádios em API (sistema de rádio online feita em Java) e, também, haverá uma pesquisa acerca de meios alternativos de pagamento.

Levando-se em consideração que em alguns países o Paypal é problemático ou que alguns usuários não possuem cartão de crédito, a Last.fm está pensando em desenvolver um sistema de pagamento através de “pay-by-SMS” (via SMS) e outros. Entretanto, RJ não garante que poderá dispor desde o primeiro dia dessa mudança uma maneira para que todos possam pagar a assinatura, com facilidade.



Fonte: Last.fm Blog - post 1 , post 2
Fotos: Phandroid e Comunidade Last.fm no Orkut

2 comentários:

Pedro Zambarda disse...

Isso fede uma coisa:

Indústria de Gravadoras enchendo o saco.


Posso estar errado, mas é o que parece.

Lidia Zuin disse...

Ah, pode até ser.. mas também não acho que seja mentira esse problema com a publicidade...

Posts mais lidos