quarta-feira, 13 de agosto de 2008

O fenômeno virou mito


Elogiar Michael Phelps está virando redundância. Estamos no quarto dia de olimpíadas, e o americano conquistou cinco ouros – em cinco finais disputadas. Phelps venceu os 200m borboleta, baixando o recorde mundial em 6 milésimos; o tempo foi de 1m52s03. Na mesma prova, o brasileiro, Kaio Márcio, terminou em 7°. Um resultado excelente, já que à quatro anos atrás, ele não alcançou a final.
Com a vitória na prova, o americano somou mais uma medalha na história olímpica, chegando à 10 medalhas, superando os grandes mitos olímpicos, Carl Lewis (atletismo), Mark Spitz (natação), Paavo Nurmi (atletismo) e Larissa Latynina (ginástica artística), e tornou-se o maior medalhista de ouro da história.
Porém, Phelps não parou por aí. Aproximadamente, 40 minutos depois, ele voltou para a água, onde disputou o revezamento 4x200 livre. Junto com, Ryan Lochte, Ricky Berens e Peter Vanderkaay, o mito das piscinas aprontou mais uma das suas. Abrindo o revezamento, Michael Phelps, tirou uma vantagem de dois corpos em relação aos adversários; bastando aos companheiros apenas manter o ritmo, e botar o ouro no peito. Mas, a competência da equipe americana não se limitou apenas à vitória. O tempo final de 6m58s56 é impressionante, uma das marcas mais incríveis dos Jogos, que se caracterizam pelas quebras de recordes. O time americano foi o primeiro a nadar o revezamento abaixo dos 7 minutos. E o agora mito olímpico pendura sua 11ª medalha dourada no peito.
Continuando nas piscinas, outros brasileiros passaram pelo cubo d’água. Uma das nossas maiores esperanças de medalhas, César Cielo, não decepcionou. Com o oitavo tempo, o nadador do interior de São Paulo – nascido em Santa Bárbara D’Oeste, classificou-se à final dos 100m livre. Cielo poderá lutar por um bronze, porque o australiano, Eamon Sullivan, e o francês, Alain Bernard, possuem tempos muito superiores aos outros adversários na final. Resta ao brasileiro, impedir a festa de Pieter van den Hoogenband. O holandês buscará o tri-campeonato olímpico; uma missão difícil devido à presença de Sullivan e Bernard, portanto o adversário a ser batido por Cielo, objetivando sua primeira medalha olímpica.
Thiago Pereira também foi bem. Terminou sua bateria – acredite,à frente de Michael Phelps, realizando o terceiro melhor tempo das eliminatórias do 200m medley. Thiago nada sua especialidade, e juntamente com Cielo, nos traz a esperança de medalha na natação.
Brilhamos na ginástica. Nossas atletas fizeram bonito na final por equipes. Jade Barbosa, Laís Souza, Daiane dos Santos, Ana Cláudia Silva, Ethiene Franco e Daniele Hypólito foram nossas representantes na finalíssima. Terminamos a competição na oitava colocação – entre oito competidoras-; mas o resultado deve ser comemorado, pois pela primeira vez chegamos tão longe. Outro dado animador, as notas individuais das nossas finalistas individuais. Daiane terminou o dia em terceiro lugar, no solo, com 15.275 de nota, obtendo uma maior confiança para a final do aparelho, que será realizada no domingo. O ouro ficou com as donas da casa.
Nas quadras, não tivemos um bom dia. O basquete feminino perdeu pela terceira vez, em seu terceiro jogo. A seleção algoz das brasileiras, a Letônia, venceu o jogo na última bola, deixando o placar final em 79 a 78. O jogo foi equilibrado, mas novamente as brasileiras pagaram pela inexperiência. Agora complicou, o Brasil precisa vencer os dois últimos jogos (Rússia e Bielorússia), e torcer por uma improvável combinação de resultados, para assim garantir uma vaga na segunda fase. Se o milagre ocorrer, teremos as americanas pela frente.
O handebol feminino sofreu uma derrota esperada. A segunda queda nos Jogos deu-se pela Rússia, fortíssima candidata a medalha. O Brasil começou bem a partida, não se intimidando e atacando as russas, chegando à abrir uma diferença de três gols. Conforme o jogo se desenrolou, as adversárias se organizaram defensivamente, e foram para o intervalo com vantagem no placar (12 a 10). Ao voltar do intervalo, a Rússia voltou mais forte, e investindo nos contra-ataques, aumentou a vantagem de gols. Confortável no marcador, só bastaram as russas administrarem o jogo e garantirem sua segunda vitória nas Olimpíadas.
Três jogos, duas vitórias e uma derrota, este foi o saldo brasileiro do vôlei. A seleção feminina venceu com facilidade a Sérvia, 3 sets a 0, parciais de 25/15, 25/13 e 25/23. O amadurecimento do time impressiona, e o favoritismo ao ouro aumenta a cada rodada. Zé Roberto conseguiu apagar os traumas das derrotas, e esse time com a confiança que está, será difícil segurar. Ana Paula e Larissa sofreram seu primeiro revés. A dupla australiana, Barnett e Cook, aplicou um 2 a 0 nas brasileiras, vencendo-as nos detalhes, 23/21 e 23/21. A derrota liga a sirene de alerta, e o tão falado entrosamento não chegou a Pequim nos três primeiros jogos. Ricardo e Emanuel venceram com facilidade seu terceiro, e último jogo, da primeira fase. As vítimas, os australianos Schacht e Slack, teoricamente dificultariam o encontro, mas a dupla brasileira impôs seu ritmo, e com relativa facilidade, derrotou os adversários. Os atuais campeões olímpicos aguardam seu adversário nas oitavas-de-final, este que pode ser a outra dupla brasileira, Márcio e Fábio Luiz.
A imagem chocante do dia pertenceu, novamente ao levantamento de peso. O húngaro, Janos Baranyai, deslocou seu braço direito, após uma tentativa. O ângulo da lesão é impressionante, e coloca em questão as capacidades físicas dos atletas, e o que eles fazem para superarem-se.
Nos tatames, não ganhamos medalhas, porém tivemos uma agradável surpresa. O desconhecido, Eduardo Santos, categoria médio, não tomou conhecimento dos seus primeiros adversários, e conquistou vaga entre os oito melhores. Nas quartas-de-final, enfrentando o francês, Yves-Matthieu Dafreville, sofreu um ippon por imobilização, e suas chances de ouro terminavam. Na repescagem, o brasileiro estreou derrotando o italiano Roberto Meloni, terceiro colocado no Mundial de Judô (2007), a vitória veio após um ippon. A final da repescagem, contra o suiço Sergei Aschwanden, foi duríssima e cansativa. Após 10 minutos de luta (5 da normal, mais 5 do golden socre), Eduardo perdeu por decisões dos juizes. Apesar do revés, a campanha do judoca é extremamente positiva, ele nos apresentou um judô agressivo e ofensivo, e um grande futuro. Torceremos, para que daqui a 4 anos, ele brilhe novamente.
Outra estreante, Mayra Aguiar, 17 anos, perdeu por ippon logo na estréia. Pequim serviu de experiência, e a judoca já acumula bons resultados, mesmo com a pouca idade. A judoca espanhola Leire Iglesias, algoz da brasileira, acabou perdendo na sua terceira luta, eliminando Mayra da compeição.
Encerrando o dia, o futebol masculino passou com facilidade pela China. Poupando os jogadores pendurados, o Brasil venceu por 3 a 0, com gols de Diego e Thiago Neves (2). Com a liderança do grupo garantida, a seleção enfrentará o time de Camarões pelas quartas-de-final. O time africano é o mesmo que nos eliminou nos Jogos de Sydney (2000), e esta é a chance de superação do “trauma olímpico”. Qualquer semelhança é mera coincidência.


Principais Resultados:

Basquete feminino
Grupo A
Rússia 71 x 65 Bielorrússia
Letônia 79 x 78 Brasil
Austrália 90 x 62 Coréia do Sul
Grupo B
Espanha 74 x 55 República Tcheca
China 80 x 63 Nova Zelândia
Estados Unidos 97 x 41 Mali

Handebol feminino
Grupo A

Romênia 34 x 26 França
China 32 x 24 Angola
Noruega 35 x 19 Cazaquistão
Grupo B
Rússia 28 x 19 Brasil
Coréia do Sul 31 x 23 Suécia
Hungria 25 x 24 Alemanha

Vôlei de praia – masculino
Grupo B

Rogers e Dalhausser (EUA) 2 x 0 Conde e Baracetti (ARG) - 21/12 e 21/13
Plavins e Samoilovs (LET) 2 x 1 Heyer e Heuscher (SUI) - 17/21, 23/21 e 15/13
Grupo C
Geor e Gia (GEO) 2 x 0 Fernandes e Morais (ANG) - 21/14 e 21/13
Ricardo e Emanuel (BRA) 2 x 0 Schacht e Slack (AUS) - 21/14 e 21/17
Grupo E
Laciga e Schnider (SUI) 2 x 0 Kjemperud e Skarlund - 21/17 e 21/13
Nummerdor e Schuil (HOL) 2 x 0 Klemperer e Koreng (ALE) - 21/16 e 21/16

Vôlei de praia – feminino
Grupo A
Tian Jia e Wang (CHI) 2 x 1 Glesnes e Maaseide (NOR) - 17/21, 21/14 e 15/8
Van Breedam e Mouha (BEL) 2 x 0 Kuhn e Schwer (SUI) - 21/18 e 21/17
Grupo C
Saka e Rtvelo (GEO) 2 x 1 Uryadova e Shiryaeva (RUS) - 10/21, 22/20 e 15/12
Barnett e Cook (AUS) 2 x 0 Ana Paula e Larissa (BRA) - 23/21 e 23/21
Grupo E
Branagh e Youngs (EUA) 2 x 1 Esteves Ribalta e Crespo (CUB) - 21/19, 13/21 e 15/12
Pohl e Rau (ALE) 2 x 0 Kadijk e Mooren (HOL) - 21/19 e 21/18e

Vôlei feminino
Grupo A

Estados Unidos 3 x 1 Venezuela - 17/25, 25/20, 25/14 e 25/18
Cuba 3 x 2 China - 18/25, 14/25, 25/23, 32/30 e 15/13
Japão 3 x 2 Polônia - 25/21, 25/20, 18/25, 23/25 e 15/11
Grupo B
Itália 3 x 0 Argélia - 25/7, 25/20 e 25/12
Rússia 3 x 0 Cazaquistão - 25/19, 25/19 e 25/11
Brasil 3 x 0 Sérvia - 25/15, 25/13 e 25/23

Natação
100m livre- masculino
Classificados à final:
1 - Eamon Sullivan (AUS) - 47.05
2 - Alain Bernard (FRA) - 47.20
3 - Pieter van den Hoogenband (HOL) - 47.68
4 - Matt Targett (AUS) - 47.88
5 - Stefan Nystrand (SUE) - 47.91
6 - Jason Lezak (EUA) - 47.98
7 - Lyndon Ferns (AFS) - 48.00
8 - Cesar Cielo (BRA) - 48.07

200m livre – feminino
Classificação final

1- Federica Pellegrini (ITA) - 1m54s82
2- Sara Isakovic (ESL) - 1m54s97
3- Jiaying Pang (CHN) - 1m55s05
4- Katie Hoff (EUA) - 1m55s78
5- Camelia Potec (ROM) - 1m56s87
6- Caitlin McClatchey (GBR) - 1m57s65
7- Bronte Barratt (AUS) - 1m57s83
7- Ophelie-Cyrielle Etienne (FRA) - 1m57s83

200 m borboleta – masculino
Resultado final
1) Michael Phelps (EUA) 1m52s03 (WR)
2) Laszlo Cseh (HUN) 1m52s70
3) Takeshi Matsuda (JAP) 1m52s97
4) Moss Burmester (NZL) 1m54s35
4) Wu Peng (CHI) 1m54s35
6) Pawel Korzeniowski (POL) 1m54s60
7) Kaio Márcio (BRA) 1m54s71
8) Nikolay Skvortsov (RUS) 1m55s14

4x200 livre- masculino
Resultado final
1) EUA - 6m58s56
2) RUS - 7m03s70
3) AUS - 7m04s98
4) ITA - 7m05s35
5) CAN - 7m05s77
6) GBR - 7m05s92
7) JAP - 7m10s31
8) AFS - 7m13s02

200m borboleta – feminino
Classificadas à final

1 - Liu Zige (CHI) - 2m06s25
2 - Jessicah Schipper (AUS) - 2m06s34
3 - Jiao Liuyang (CHI) - 2m06s42
4 - Otylia Jedrzejczak (POL) - 2m06s78
5 - Yuko Nakanishi (JAP) - 2m06s96
6 - Kathleen Hersey (EUA) - 2m06s96
7 - Aurore Mongel (FRA) - 2m07s21
8 - Elaine Breeden (EUA) - 2m07s73

200m peito – masculino
Classificados à final:
1 - Kosuke Kitajima (JAP) - 2m08s61 (OR)
2 - Mike Brown (CAN) - 2m08s84
3 - Scott Spann (EUA) - 2m09s08
4 - Brenton Rickard (AUS) - 2m09s72
5 - Daniel Gyurta (HUN) - 2m09s73
6 - Loris Facci (ITA) - 2m09s75
7 - Paolo Bossini (ITA) - 2m09s95
8 - Hugues Duboscq (FRA) - 2m09s97

200m medley - feminino
Resultado final:

1 – Stephanie Rice (AUS) – 2m08s45
2 – Kirsty Coventry (ZIM) – 2m08s59
3 – Natalie Coughlin (EUA) – 2m10s34
4 – Kathryn Hoff (EUA) – 2m10s68
5 – Alicia Coutts (AUS) – 2m11s43
6- Asami Kitagawa (JAP) – 2m11s56
7 – Julia Wilkinson (CAN) – 2m12s43
8- Katarzyna Baranowska (POL) – 2m13s36

200m medley – masculino
Classificados às semifinais:
1) Ryan Lochte (EUA) 1m58s15
2) Laszlo Cseh (HUN) 1m58s29
3) Thiago Pererira (BRA) 1m58s41
4) Ken Takakuwa (JAP) 1m58s51
5) Bradley Ally (BAR) 1m58s57
6) Michael Phelps (EUA) 1m58s65
7) Alessio Boggiatto (ITA) 1m58s80
8) Keith Beavers (CAN) 1m59s19
8) Takuro Fujii (JAP) 1m59s19
10) Darian Townsend (AFS) 1m59s22
11) Vytautas Janusaitis (LIT) 1m59s63
12) Gal Nevo (ISR) 1m59s66
13) James Goddard (GBR) 1m59s74
14) Liam Tancock (GBR) 1m59s79
15) Leith Brodie (AUS) 1m59s96
16) Dinko Jukic (AUT) 2m00s57

Ginástica artística – feminino
Final por equipes
1 – China (188.900)
2 – Estados Unidos (186.525)
3 – Romênia (181.525)
4 – Rússia (180.625)
5 – Japão (176.700)
6 – Austrália (176.525)
7 – França (175.275)
8 – Brasil (174.875)

Ciclismo estrada – Time-trial (corrida contra o relógio)
Feminino

1- Kristin Armstrong (EUA) - 34m51s72
2 - Emma Pooley (UK) - 35m16s01
3 - Karin Thurig (SUI) - 35m50s99

Ciclismo estrada – Time-trial (corrida contra o relógio)
Masculino

1- Fabian Cancellara (SUI) - 1h02m11s43
2 - Gustav Larsson (SUE) - 1h02m44s79
3 - Levi Leipheimer (EUA) - 1h03m21s11

Saltos ornamentais – trampolim sincronizado, 3m
Resultado final:

1- Wang Feng e Qin Kai (CHI) - 469,08
2 - Dmitry Sautin e Yuriy Kunakov (RUS) - 421,98
3 - Illya Kvasha e Oleksiy Prygorov (UCR) - 415,05


Judô – categoria médio (-70 kg)
Feminino

Ouro – Masae Ueno (JAP)

Judô – categoria médio (-90 kg)
Masculino

Ouro - Irakli Tsirekidze (GEO)

Futebol Masculino
Grupo A
Argentina 2 x 0 Sérvia
Costa do Marfim 1 x 0 Austrália
Grupo B
Nigéria 2 x 1 Estados Unidos
Holanda 1 x 0 Japão
Grupo C
Bélgica 1 x 0 Nova Zelândia
Brasil 3x0 China
Grupo D
Coréia do Sul 1 x 0 Honduras
Itália 0 x 0 Camarões

2 comentários:

jorge telles disse...

Edgar,

você deveria fazer um curso intensivo sobre "como usar propriamente a vírgula".

No mais, belo trabalho!

Abraços,
Jorge

José Edgar de Matos disse...

Obrigado pela dica, e pelos elogios.

Indicaria-me um bom curso ?

Grato
José Edgar

Posts mais lidos