quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Santo pé esquerdo!

Depois das meninas, os marmanjos deram o pontapé inicial, em sua participação nos Jogos de Pequim. A seleção brasileira enfrentou a Bélgica, medalha de ouro em 1920, e venceu, porém passou longe de convencer.

O placar magro de 1 a 0 refletiu a falta de inspiração dos brasileiros. Ronaldinho, voltando a usar a camisa 10, teve atuação discreta. O gol foi marcado pelo volante Hernanes, do São Paulo, em um lance individual, que contou com a raça do meia Diego.

Diego pode ser apontado como o melhor jogador da seleção em campo. O jogador do Werder Bremen mostrou uma grande vontade, percorreu o campo todo, e criou as principais jogadas do Brasil – inclusive o lance do gol.

O primeiro tempo foi de dar sono. Pegado e duro, o vigor físico dos belgas induzia o Brasil a cometer o mesmo jogo. Com isso, a melhor oportunidade foi da Bélgica, após uma dividida com o goleiro Renan, De Mul chutou “tirando tinta” da trave direita, do arqueiro gaúcho. Pato, mal posicionado, permanecia isolado no ataque, e os volantes eram discretos e atuavam muito recuados, principalmente Anderson.

Na volta do intervalo, o Brasil voltou um pouco melhor – Pato teve boa chance para marcar. A Bélgica, por sua vez, não abandonou sua principal ação no jogo, faltas -30 no total, contra 15 dos brasileiros.

De tanto bater, o juiz (com boa atuação) expulsou justamente o zagueiro Kompany. Após a punição, o Brasil teve mais espaço e conseguiu o tão esperado gol. Hernanes carregou a bola até a linha de fundo, pelo lado esquerdo; tocou para Diego, dentro da área; o camisa 15 perdeu a bola para o zagueiro, entretanto brigou e conseguiu recuperar a pelota, que sobrou para o jogador são paulino; Hernanes com calma, cortou o zagueiro, e finalizou forte de perna esquerda, abrindo o placar.

Após o gol, o ritmo caiu. O Brasil procurou administrar o jogo, e só criava algo quando a bola passava pelos pés dos suplentes que entraram (Ramires, Thiago Neves e Jô). Os belgas, irritados, continuavam cometendo infrações, e tiveram mais uma perda. Sem explicações, o árbitro saudita. Al Ghamdi Khalil expulsou Fellaini. Com nove em campo, as esperanças dos adversários terminaram.

Antes do juiz apitar o fim do jogo, o bandeirinha teve o trabalho (bem feito) de anular um gol do ex-corintiano Jô. Quando o saudita apitou o fim do jogo, podemos comemorar a vitória, porém para conquistarmos o inédito Ouro olímpico, precisamos melhorar, e muito.

O Brasil volta a campo no Domingo, quando enfrentará os neozelandeses. Enquanto os belgas, necessitados da vitória, irá a campo enfrentar os anfitriões, chineses.

Outros resultados, da primeira rodada do futebol masculino:

Grupo A

Argentina 2x1 Costa do Marfim
Austrália 1x1 Sérvia

Grupo B

Japão 0x1 Estados Unidos
Holanda 0x0 Nigéria

Grupo C

Nova Zelândia 1x1 China

Grupo D

Itália 3x0 Honduras
Coréia do Sul 1x1 Camarões

4 comentários:

Sté disse...

Cobertura exclusiva? hahaha. Eu, santa inocência, achei que brasileiros me surpreenderiam, mas não. Desde 2006 que não suporto, oficialmente, a seleção. Porém, já dizia o hino dos hinos "nunca vou te abandonar..."

Pedro Zambarda disse...

Esse não é do Corinthians?

hahahahahahaha

(tá, tá, zueira XD)

José Edgar de Matos disse...

haeouhauoehauoheuoaheou
Boa, Pedro! Falando do time, acredito pelo talento dos jogadores. Hernanes, Anderson, Lucas, Pato, são alguns que posso citar. Ronaldinho é gênio, tem nos pés a oportunidade de voltar a brilhar. O único problema é o banco. Dunga, juntamente com a CBF, fez um planejamento medíocre, tratando os Jogos Olímpicos como "obrigação". A Argentina, por exemplo, realizou 8 amistosos antes da estréia. O Brasil, por sua vez, jogou três (Combinado Carioca B, C ou D, Cingapura e Vietnã), ou seja, não jogou. hehe

Thiago Dias disse...

Ronaldinho gênio? Qndo ele começa a joga no Brasil o que jogou por meros dois anos no Barcelona eu começo a considerar isso

Posts mais lidos