quinta-feira, 12 de junho de 2008

Parou e naufragou


Na noite dessa quarta feira, onze de junho, o Sport venceu o Corinthians por 2 a 0, com gols de Carlinhos Bala e Luciano Henrique, e sagrou-se campeão da Copa do Brasil. É o primeiro nordestino a ganhar o torneio. A Ilha do Retiro estava absolutamente lotada, o clima no estádio era o de um verdadeiro caldeirão no qual o time da casa tencionava fritar o rival. E fritou.

O jogo começou com muita transpiração e pouca inspiração. O Timão apostou na marcação e entrou com uma proposta de diminuir os espaços do time pernambucano e tentar sair no contra ataque. Já o Sport gastou os primeiros minutos tentando abrir a defesa alvinegra com ataques pelos flancos do campo, subindo sempre pelas laterais. Até que Nelsinho Baptista tentou lançar seu time ao ataque para furar a sólida retranca paulistana. O técnico tirou Kassio e coloca Enilton.

Aos poucos a equipe de Recife foi tomando conta do meio de campo e aos 35 minutos Carlinhos Bala recebeu na entrada da área e chutou cruzado para abrir o placar. O arqueiro Felipe ainda chegou a tocar na bola, mas não foi o suficiente. Aos 38 minutos o Sport fez o segundo gol, Luciano Henrique chutou uma bola espirrada de um escanteio, Felipe foi devidamente atrapalhado por Enilton, e a bola entrou, fazendo a Ilha pegar fogo. O time paulista ainda tentou uma pressão no final do primeiro tempo. William quase fez um gol em bola parada e no lance seguinte o goleiro Magrão praticou uma estupenda defesa em cabeçada rival.

Mano Menezes veio para a última etapa com Lulinha a Acosta nos lugares de Carlos Alberto e Rincon respectivamente. Isso dificultou a ligação entre defesa e ataque. O jogo ficou mais fácil para o time nordestino, que soube administrar o resultado e contou com o nervosismo corintiano caracterizado nas expulsões de Saci e William. Aos 43 minutos, Acosta recebeu na área e tentou dar um corte no goleiro adversário, que saiu à Fabio Costa, e tocou o jogador uruguaio. O pênalti não foi marcado e isso suscitará debates e reclamações.

Apesar desse erro do juiz, o Timão foi apático ao longo do jogo, não mostrou a maturidade e a determinação cega que foram tão preciosas ao longo do torneio. No primeiro tempo a covardia reinou, no segundo, a desorganização tática. O time que não parava, parou e naufragou. É claro que o Corinthians fez mais do que muitos esperavam e que o trabalho de Mano Menezes é bom. Não estava nos planos do clube conquistar a Copa do Brasil, a meta sempre foi voltar para a Série A do Brasileirão. Mas como surgiu a possibilidade, e ela parecia tão segura até os 46 minutos do segundo tempo do jogo anterior, não há como não ficar um gosto de fel nas bocas e nos enlouquecidos corações corintianos.

O Sport, por seu turno, não é um time brilhante. Há muitos jogadores que não deram certo em clubes do eixo Rio-São Paulo atuando nessa equipe: Enilton, Daniel Paulista, Dutra, Roger e outros. A equipe, no entanto, soube usar o seu estádio como uma arma. Na Ilha, a Bombonera do Nordeste, o Sport despachou Palmeiras, Inter e cimentou sua classificação contra o Vasco. Se o time não é brilhante, é aplicado. Com os cânticos e a força do estádio insular, os atletas jogam mais do que sabem. Com esse título, um time nordestino vai voltar a Libertadores ano que vem, 20 anos após a última participação (Bahia em 1989) e Nelsinho Baptista volta a ganhar um título que lhe confere prestígio e notoriedade nacional.

Agora resta aos clubes cumprirem seu papel ao longo da temporada. O Corinthians deve voltar à elite do futebol brasileiro, caminho que não apresentará grandes percalços. O Sport, por sua vez, deve fazer um Brasileirão honroso e procurar reforços para a disputa do torneio intercontinental.

5 comentários:

Unknown disse...

Tudo que pode ser dito dps dessa final é parabéns ao Sport. Um time que passa por Palmeiras, Inter, Vasco e Corinthians, e passa bem, merece o titulo com honras. OU seja, quem disser hj que o Corinthians perdeu estará mentindo, pq foi o Sport que ganhou, e com méritos contra um time que se acovardou novamente na hora da decisão. Assim como fez na partida que definiiu sua queda pra Serie B e como fez qndo iria garantir a classificação no Paulista.

Anônimo disse...

Damu pa kmu to?.. Nano ni klase blog man?

Mônica Alves disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mônica Alves disse...

Não concordo, quem perdeu o título foi o Corinthians. Em cinco minutos o time deu o campeonato nas mãos do Sport, os lances tão lá pra todo mundo ver. Tanto é verdade que, em um segundo tempo medíocre dos dois lados, o Corinthians conseguiu chances de fazer o gol, e não o fez. O título foi entregue ao Sport, tanto pelo Corinthians quanto pela arbitragem (mais uma vez).

José Edgar de Matos disse...

Mônica. Onde assino ?

Posts mais lidos