terça-feira, 20 de maio de 2008

Sobre gelo e ideais...


“Greetings from Fairbanks!
Arrived here two days ago.
Might be a very long time before I return south.
I now walk into the wild”*

Baseado no best seller de Jon Krakauer, Into The Wild (Na Natureza Selvagem) conta a história verídica de Christopher Johnson Mc
Candless (12/02/1968 – 18/08/1992) , um jovem que, aos 22 anos de idade, decide largar tudo e partir em busca de aventura. Com roteiro adaptado e direção de Sean Penn, o filme ganhou o Globo de Ouro na categoria de Melhor Canção por “Guaranteed” - letra e música de Eddie Vedder.
Cansado do moralismo hipócrita da sociedade e dos conflitos familiares, Christopher, interpretado por Emile Hirsch (Alpha Dog, Um Show de Vizinha), doa todas as suas economias para a caridade, deixa para trás a família e um futuro promissor e inicia sua viagem pelo país usando o nome de “Alexander Supertramp”.
Influenciado pelos textos de Leo Tolstoy, Henry David Thoreau, entre outros, ele ruma ao Alasca, onde viveria sem qualquer contato com a civilização, dependendo única e exclusivamente de seus próprios esforços e do abrigo de um ônibus abandonado para sobreviver.
Durante a jornada, “Supertramp”, que alterna momentos de completo isolamento e outros de sociabilidade [talvez para não perder o hábito], faz amizade com uma série de personagens interessantes, q
ue vêem suas vidas mudadas pelo obstinado rapaz.
Temas como a liberdade não são tratados pelas falas dos personagens tanto quanto pela seqüência de cenários, que deixam o espectador submerso: ele sai do cinema com vontade de ficar só e refletir. As montanhas infinitas de gelo são filmadas de tal maneira, contrastando com os braços abert
os de Hirsch, que o inóspito Alasca chega a parecer um lugar aconchegante!
O elenco conta também com a participação de Vince Vaughn (Separados Pelo Casamento; Impulsividade), Catherine Keener (Quero Ser John Malkovich; A Intérprete) e Marcia Gay Harder (Pollock; Sobre Meninos e Lobos).
Enfim, vale a pena conferir.

*Saudações de
Fairbanks!
Cheguei há dois dias.
Pode levar um bom tempo até que eu volte para o sul.
Agora eu caminho na natureza.

2 comentários:

Thiago Dias disse...

O filme é lindo e de uma sensibilidade impressionante. Me arrisco a dizer que é o trabalho da vida de Sean Penn e a melhor atuação de Emile Hirsch até aqui. Fazendo apenas um pequeno paralelo, após assistir a este filme, vejam o documentário "Homem Urso" de Werner Herzog.

Pedro disse...

Esse filme me lembrou On the Road, do Jack Kerouac.

Pretendo ler esse livro e assistir o filme, também.

Posts mais lidos